650_1000_win81bing

A Microsoft prometeu, a Microsoft cumpriu. Semanas depois de anunciar que o Windows seria de graça para dispositivos com 9 polegadas ou menos, a gigante de Redmond apresentou o Windows 8.1 com Bing, a citada versão gratuita do sistema. De fato, é uma edição especial do sistema operacional que será gratuita sempre e quando os fabricantes instalarem o dispositivo em PCs, notebooks, tablets e conversíveis com 1 GB de RAM e até 16 GB de armazenamento. Mas espere. Tem mais.

Nesse Windows 8.1 “de graça”, o Internet Explorer e o Bing serão elementos pré-instalados e pré selecionados, mas a Microsoft esclarece que qualquer usuário poderá mudar o motor de busca (ou utilizar outro navegador) se assim quiser. O problema é que tem muito usuário que, ou pela falta de conhecimento dos procedimentos, ou pela preguiça, que é maior do que qualquer outra coisa, não vai promover mudança nenhuma no sistema, deixando tudo tal como recebe o produto ao chegar da loja, aumentando de forma “orgânica” a participação do Bing e do Internet Explorer em seus respectivos segmentos.

Segundo a Microsoft, os primeiros produtos com Windows 8.1 com Bing devem ser apresentados na Computex 2014 em Taipei, no mês de junho.

A medida é claramente destinada a competir diretamente com os Chromebooks, que ultimamente chamaram o interesse do setor educacional, principalmente nos Estados Unidos, e que tem preços e configurações modestas. A Microsoft pode atacar precisamente esse setor, com os “sucessores tardios” dos netbooks, que tanto tiveram sucesso no mercado de computadores portáteis entre os anos de 2007 e 2010.

A grande pergunta é: quanto espaço de armazenamento vai restar nesses dispositivos, levando em conta que muito será ocupado pela própria instalação do Windows 8.1?

Os requisitos do sistema convencional do Windows 81. de 32 bits já necessitam de 16 GB de espaço para a sua instalação, enquanto que a versão de 64 bits necessitam de 20 GB. Logo, é de se supor que os futuros computadores de baixo custo integrarão slots SD para ampliar o espaço de armazenamento. Mesmo assim, seria interessante comprovar que tipo de componentes ficarão instalados no Windows 8.1 com Bing, e quais elementos ficarão de fora.

De qualquer forma, é a Microsoft indo para o contra-ataque. Perceberam que a sua hegemonia no mercado de PCs, começou a ser seriamente ameaçada pelo Chrome OS, que tem como principal apelo algo que a gigante de Redmond tradicionalmente não tem como principal predicado: o fator “sou de graça, e posso reduzir o preço do seu produto”.

E nem poderia. Afinal de contas, durante décadas o negócio da Microsoft foi vender o software, e ter o seu sistema operacional no máximo de computadores possível. Com o mercado de PCs em queda livre nas vendas, todo o setor precisa se reinventar para seguir vivo. Parte dessa reinvenção passa na gratuidade do software. E nessa, a Google largou na frente.

Vamos ver se a Microsoft consegue reagir com a sua versão do Windows “com Bing”.