ios-8-health

Eu adoro acompanhar eventos da Apple. Primeiro, porque adoro eventos de tecnologia. Segundo, porque vejo fanboy da empresa tendo orgasmos múltiplos pelos mais diferentes motivos. Terceiro, porque a cada evento, vejo que a empresa que se diz “mágica e revolucionária”, que é a “virgem imaculada”, e que é “inovadora, não copiando nada de ninguém” simplesmente não existe mais. E isso é bom, por vários aspectos.

É bom porque fanboys chatos simplesmente calam a boca. Faz com que a Apple pare de encher o saco quando tem seus dispositivos copiados. Até porque de santa, a Apple não tem nada. Tá, não vai impedir que Tim Cook acione advogados quando a Samsung resolver utilizar o “slide to unlock” em seus telefones sem a sua permissão (pois isso pode causar “danos irreversíveis” para os cofres de Cupertino… não sei aonde), mas ao menos mostra que até eles copiam coisas de todo mundo: WhatsApp, Android, Windows Phone, etc.

E se esse povo todo resolve processar a Apple? Sim, pois o iMessage virou um WhatsApp wannabe, e para uma empresa que se diz “a rainha da inovação”, todos os novos recursos apresentados no seu comunicador eu já uso no WhatsApp há tempos.

E a Google? Será que vai processar a Apple porque só agora os usuários do iOS podem interagir com as notificações sem precisar abrir o aplicativo? Acho que não. Dispensável.

E trocar o teclado do iOS? Finalmente essa liberdade tão desejada por muitos. SwiftKey agradece. Recomendo para todo mundo que tem o iOS. É um teclado que simplesmente humilha o nativo do sistema da Apple.

Enfim, novidades… São bem vindas para quem tem o iOS. Para quem usa o Android, faz parte do dia a dia do usuário desde 2012. Então, posso dizer: bem-vindos ao futuro, Apple Fanboys! Vivemos nele a algum tempo, e podemos dizer que é algo bem legal! Vocês vão gostar!

Pronto. Chega de bullying com quem viveu parado no tempo.

Mudando de perspectiva, eu gostei da palestra inaugural da WWDC 2014. A Apple prometeu um evento focado para desenvolvedores, e pelo visto, vai cumprir. Algumas das coisas mais legais apresentadas por eles ontem (02) estão centradas nos developers: novas ferramentas, SDKs com amplas possibilidades, APIs mais flexíveis, e até uma linguagem nova de programação. Acho que criações incríveis vão sair de lá, e todo mundo tem a ganhar com isso.

Principalmente a Apple, que terá mais aplicativos relevantes e interessantes na sua loja.

Sobre o OS X 10.10 Yosemite, também vejo pontos bem positivos. Uma nova interface, novas funcionalidades, uma proximidade maior do iOS, e uma integração muito maior entre os principais dispositivos da Apple. Quem tem iMac, MacBook, iPhone e iPad poderá comunicar melhor esses dispositivos, interagindo com eles de forma mais livre, ampliando o leque de uso e de tarefas entre eles.

Sem falar no iCloud Drive, que chega para ser a alternativa Apple em relação ao Dropbox, Google Drive, OneDrive e derivados. Algo que tinha que aparecer mesmo.

E sobre o iOS 8… correu atrás do prejuízo. Foi a Apple copiando recursos dos concorrentes, muito solicitados pelos usuários, e sem medo de ser feliz!

Não me entendam mal. Não é algo ruim. Tais novidades eram necessárias até mesmo para evitar um êxodo maior de usuários do iOS para outras plataformas (sim, pois Tim Cook não comenta a queda de cota de mercado que o iOS sofre a cada trimestre). E para atender as demandas daqueles que permanecem na plataforma, é fundamental reduzir a distância de funcionalidades entre as propostas. E muitos usuários da Apple queriam as “adaptações” implantadas por eles… que já estavam presentes nas plataformas/serviços rivais.

Aliás, isso não é nenhum pecado. A Apple tem que fazer isso mesmo. Tornou o iOS mais atraente. Tem que ser assim.

Por fim, meu recado final é para os “doentes”: parem de achar a Apple “mágica e revolucionária”. Vocês pagam de otários quando fazem isso.

O que a Apple apresentou ontem são as melhorias naturais que as suas plataformas precisavam receber. São coisas bem legais, muitas delas importantes e outras tantas necessárias, pois eles já estavam ficando para trás em alguns aspectos.

Mas não existe absolutamente nada de tão revolucionário assim que justifiquem a masturbação coletiva, os delírios de drogado, e frases que dão a entender que só eles são criativos, inovadores e revolucionários.

Até porque não foi. Essa é que é a verdade.

Seja feliz com o iOS. Seja feliz com o iPhone. Aliás, quero voltar a ser feliz com um iPhone (quando ele tiver uma tela maior, quem sabe). Agora, não baseie a sua felicidade tentando enaltecer o seu e, ao mesmo tempo, menosprezar o sistema do outro (que, por sinal, a Apple colocou um monte de coisas que funcionam muito bem nesse sistema operacional que você chama de “porcaria”).

Aliás, porcaria é a mente pequena de ter que pensar que, para mostrar que o seu é bom, você desqualifica o outro sem argumentos. Isso é coisa de gente pequena. E tecnologia não se vale disso.

Enfim, quando o iOS 8 chegar… faça como a Apple: use, sem medo de ser feliz. Sem olhar para os lados.

Enfim, essa é a minha dica (de quem é mais foda que qualquer fanboy, pois sabe usar Android, iOS, Windows Phone… e é feliz com todos eles).