Compartilhe

Viu, Samsung? É assim que se faz!

Faz muito tempo que a maioria dos usuários e entusiastas de tecnologia sabem que não é necessário vender um rim para comprar um smartphone top de linha. Os muito ricos e pseudo poderosos podem sim comprar um iPhone ou um Samsung Galaxy S20 no Brasil, pois isso não é crime (mesmo que muitos considerem como uma atentado à economia nacional), mas a maioria dos meros mortais podem apostar sem maiores problemas nos modelos da concorrência, com preços mais acessíveis e especificações técnicas tão boas quanto os dispositivos de marcas badaladas.

O Xiaomi Mi 10 e o Xiaomi Mi 10 Pro são duas provas materiais do que eu estou falando: são autênticos smartphones top de linha que custam a metade do valor (tá, um pouco mais…) dos novos telefones top de linha da Samsung. E você é livre para escolher entre os telefones das duas marcas.

 

 

 

E as pessoas ainda estranham essa popularidade da Xiaomi…

 

 

Não dá para dizer que os novos smartphones top de linha da Xiaomi e da Samsung são iguais. As diferenças são sim perceptíveis no design, na experiência de uso e nos detalhes de software que cada fabricante adota para entregar uma maior identidade para cada produto.

Porém, nas principais características técnicas, os modelos são rigorosamente iguais: processador, RAM, quantidade de RAM, tipos de memórias, quantidade de armazenamento e o sensor fotográfico de 108 MP.

Para os usuários que podem viver bem sem os diferenciais oferecidos pelos modelos da Samsung, os novos Xiaomi Mi 10 e Xiaomi Mi 10 Pro são os modelos a serem escolhidos nesse momento. Ambos contam com a presença do processador Snapdragon 865 (o mais potente da Qualcomm), conectividade 5G, armazenamento UFS 3.0, RAM LPDDR5, o já citado sensor fotográfico de 108 MP…

O que mais você pode querer?

 

 

 

Um valor que é a metade dos modelos Galaxy S20, é claro!

 

 

Por mais que alguns especialistas e executivos apresentem a alegação que a Xiaomi faz produtos com componentes “de segunda divisão”, onde a qualidade abaixo da média ajudaria a explicar a boa relação custo-benefício que os produtos da marca entrega, acho que a maioria dos seus usuários já puderam comprovar que os dispositivos da marca são competentes e eficientes o suficiente para afastar qualquer teoria conspiratória nesse sentido.

A Xiaomi é uma das marcas que mais reforçaram a teoria que pagar mais caro por um smartphone em função da marca pode ser um péssimo uso do seu dinheiro. Muita gente compra smartphones de marcas badaladas apenas pelo status, e não pela usabilidade.

Não me entenda mal, amigo leitor. Eu mesmo cogitei em 2019 comprar um Galaxy Note 9 para mim por causa das especificações e qualidade final do produto, mas principalmente por entender que esse modelo seria mais completo para as minhas necessidades como produtor de conteúdo de tecnologia.

Porem, o preço do Galaxy Note 9 no Brasil não caiu, o Pocophone F1 funcionou muito bem durante mais de um ano, e eu fui seguindo com a minha vida sem maiores problemas. Logo, minha vontade de trocar de smartphone foi caindo da mesma forma que passa a minha vontade em comer chocolate de tempos em tempos.

 

 

 

O que eu penso do Xiaomi Mi 10 e Xiaomi Mi 10 Pro

 

 

São smartphones excelentes. Entregam (na teoria) uma ótima relação custo-benefício para modelos top de linha, com valores muito mais palatáveis do que os dispositivos da Samsung (variam entre 527 euros e 790 euros na China). Bem sabemos que esses preços atraentes não serão os mesmos para os mercados internacionais, já que cargas tributárias serão adotadas em qualquer mercado. Mesmo assim… são smartphones top de linha mais próximos da realidade de todos.

São modelos mais que recomendados para quem procura um smartphone top de linha para chamar de seu em 2020, mas não quer perder um órgão interno importante ou ceder partes do seu corpo para alcançar esse objetivo.

Não tem como não ficar de olho nesse modelo.


Compartilhe