Compartilhe

Será que o Xiaomi Mi 9 SE conseguiu ser ainda mais impressionante que o Xioami Mi 9? Talvez sim, talvez não. Particularmente, é difícil superar o destaque que o novo modelo top de linha da Xiaomi recebeu. Por outro lado, não podemos ignorar que o modelo mais modesto deixa lições importantes para o mercado e para os consumidores em potencial.

Em um mercado de linha média cada vez mais premium (tanto nas especificações como no acabamento), todo e qualquer fabricante que quer se destacar no setor precisa oferecer argumentos para convencer o consumidor a comprar o seu produto. E eu bem sei que alguns fabricantes não estão fazendo isso direito justamente nesse segmento de linha média.

Beijo, Samsung. Beijo, Motorola.

Uma das façanhas da Xiaomi com o Mi 9 SE é manter o leitor de digitais na tela do modelo maior. Tá, você pode falar que esse leitor não ocupa a tela toda (só a parte inferior). Sinceramente? Não importa! Quantos smartphones dentro dessa faixa de preços que contam com um leitor de digitais integrado na tela?

Respondido? Próximo tópico.

Câmera tripla traseira. Outros fabricantes oferecem a mesma coisa, mas não apenas o sensor do Mi 9 SE é maior (48 MP), como também esse sensor vai trabalhar com um hardware com maior potencial (processador Qualcomm Snapdragon 712). Diferente de outros fabricantes, a Xiaomi coloca um chip novo para explorar o maior potencial possível no dispositivo.

E consegue fazer tudo isso, com um preço máximo de 300 euros, que algumas pessoas até entendem que pode ser considerado caro levando em consideração que o Pocophone F1 custa um pouco mais caro que isso. Mas considerando os seus concorrentes diretos, o Mi 9 SE mandou muito bem nesse aspecto.

Esse é mais um smartphone que você até pode considerar que não é perfeito, mas ele cumpre com o seu papel de dar aula para a concorrência sobre como realmente é possível oferecer um smartphone de linha média premium, com funcionalidades premium e preço competitivo, que está devidamente justificado pelas características técnicas.

Especialmente quando a Samsung lança modelo de linha linha média com Snapdragon 450 por R$ 1.899, e a Motorola lança modelo de linha média com Snapdragon 636 (que nem é o mais completo da geração anterior) por R$ 1.899.

O Xiaomi Mi 9 SE deixa a situação desses dois modelos bem complicada.


Compartilhe