Compartilhe

Mais uma vez, o tema polêmico.

O Xiaomi Mi 9T chegou ao Brasil pelas mãos da DL Eletrônicos, na versão com 6 GB RAM + 128 GB (não expansíveis) + Snapdragon 730, com o preço sugerido de R$ 3.499. E a grande pergunta que todos estão fazendo é: ele vale tudo isso?

Antes de qualquer coisa, quando eu falo de VALOR, eu não estou falando de NÚMEROS ou de VALOR AGREGADO. Eu acho que o Xiaomi Mi 9T um smartphone diferente, com uma inovação que muitos fabricantes apostam que é o futuro (câmeras retráteis, mas eu discordo um pouco disso), tem um design atraente e pode render como um bom dispositivo de linha média alta.

Mas… R$ 3.499?

 

 

Não é a Xiaomi que o fã brasileiro conhece

 

Em pesquisa rápida na internet, você encontra o mesmo Xiaomi Mi 9T de 128 GB de armazenamento por R$ 1.999 no Amazon.com.br. Tudo bem, o usuário não recebe a garantia ou a assistência técnica da DL Eletrônicos ao comprar esse modelo (poderia, né?), mas a imensa maioria das pessoas que procuram os produtos da Xiaomi não pensa muito na assistência técnica oficial, e jogam um “jogo de risco” ao ficar com um produto que pode dar problema a qualquer momento.

Eu repito: entendo perfeitamente os preços adotados pela DL Eletrônicos no mercado brasileiro, e entendo todos os fatores que resultam em um preço elevado como esse para os seus produtos.

Agora, daí a acreditar que isso pode funcionar de forma lucrativa e sustentável para os envolvidos? É um pouco difícil.

Os preços são um pouco fora da realidade do brasileiro médio e fora da realidade da própria Xiaomi. As pessoas compram os produtos da marca justamente por causa da ótima relação custo-benefício e, no final das contas, não conseguem encontrar essa característica quando a marca oficialmente vende os produtos por aqui.

Eu não sei por quanto tempo a Xiaomi e a DL vão comprar essa postura. Só temo que, quando as duas se derem conta que não está funcionando, que seja tarde demais.

E a Xiaomi sai do Brasil novamente.

Eu espero estar enganado. Sinceramente.


Compartilhe