Ver a Xiaomi apostar em notebooks para gaming não é algo surpreendente. Afinal de contas, ela vai atrás de onde o dinheiro está girando, e esse segmento basicamente está salvando o mercado de PCs a algum tempo.

Logo, o Xiaomi Mi Gaming apresenta coisas bem interessantes, principalmente nos detalhes pensados especificamente nos gamers, como teclado retroiluminado, filas de teclas específicas e filosofia de armazenamento híbrido (HD + SSD) com um processador Intel Core de última geração.

Ou seja, dificilmente os gamers mais exigentes ficarão insatisfeitos com um notebook como esses. Lembrando que esse modelo (de forma quase óbvia) conta com uma placa gráfica dedicada da NVIDIA, item obrigatório para um dispositivo dessa categoria.

 

 

Eu não sei o quanto incomoda os gamers o detalhe do Xiaomi Mi Gaming não contar com um teclado mecânico. Quem sabe o anti-ghosting acabe compensando esse detalhe de funcionalidade.

No final das contas, é o notebook direcionado para um público específico, que deve ficar satisfeito com o conjunto geral. Mas que infelizmente não deve chegar ao Brasil com tanta facilidade.

Desconfio que depois de tudo o que os brasileiros fizeram com a galera da Gearbest, acho que não chega é nunca. Mas sonhar não custa nada.

Ter um importador de confiança é algo bem mais caro.