O ser humano é um animal realmente indeciso. E eu me incluo nessa situação.

É mais ou menos nessa época do ano que eu estabeleço o planejamento para troca de gadgets. Nesse momento, estou em condições de investir em um novo dispositivo, e nas próximas semanas eu preciso tomar decisões importantes.

Mas… e a tal da indecisão?

Eu tenho dois cenários possíveis para o meu futuro novo smartphone. Os dois são realistas, mas um deles contraria frontalmente parte da minha filosofia de geek racional.

Vejamos.

A minha primeira opção é o Xiaomi Pocophone F1, com 6 GB de RAM e 128 GB de armazenamento. E só estou escolhendo esse modelo porque, de forma misteriosa (ou até explicável/justificável), o modelo com 8 GB de RAM e 256 GB de armazenamento simplesmente desapareceu do mercado.

A falta de grana de forma pontual fez com que eu não comprasse esse modelo. Eu não me importaria em pagar um pouco a mais para ter maior espaço de armazenamento nativo. De qualquer forma, tenho uma opção que considero como razoável abaixo dos R$ 2.000.

Por outro lado, eu conheço as limitações do Xiaomi Pocophone F1 em pelo menos um aspecto que eu considero primordial para o meu trabalho como produtor de conteúdo de tecnologia: a câmera.

Eu não quero voltar a ter que carregar uma câmera dedicada para registrar determinadas fotos. Para mim, é muito mais prático ter apenas o smartphone no bolso e tirar fotos do que quero e preciso. Especialmente em eventos de tecnologia.

Nesse aspecto, meus olhares apontam para um único lado: o Samsung Galaxy S9+.

 

 

É um dos melhores smartphones Android de 2018, e pela primeira vez na minha vida eu me permitiria investir em um top de linha do ano. As condições para isso existem, pois mesmo em tempos de crise financeira e política, a audiência do TargetHD.net cresceu em 2018 (na verdade, se recuperou), e isso fez com que alguns investimentos retornassem de forma sustentável.

O duro é gastar em torno de R$ 3.000 em um smartphone. Vai contra o que eu acredito e o meu modo de proceder. Mas começo a me convencer que este é um investimento importante para o meu trabalho.

Ainda existe uma terceira via, que está ficando cada vez mais distante: o ASUS Zenfone 5Z com 8 GB de RAM e 256 GB de armazenamento.

É o preço do Galaxy S9+, mas oferecendo mais no seu conjunto técnico. Isso realmente me chama a atenção pensando em um uso a longo prazo. Porém, eu volto para o tema da câmera, onde a Samsung entrega uma qualidade melhor para o meu trabalho (se fosse para o meu uso pessoal, eu não me importaria muito com isso).

 

 

Então, é isso.

Nesse momento, eu sou um animal indeciso, que precisa resolver o que vai fazer da vida e como o investimento será melhor aplicado ou mais eficiente. Devo realizar o investimento ao longo do mês de novembro, o que ainda me dá um tempo para pensar bem no que quero fazer.

No mundo perfeito, eu teria todos esses smartphones. Mas como nem o mundo é perfeito e a gente vive na era das fake news, eu tenho que me contentar com apenas um. Igual a minha mãe dizia quando eu era pequeno.

Qual escolher? Oh, dúvida…