Toda empresa de tecnologia visa duas coisas: crescer e obter lucros. A Xiaomi está se tornando uma gigante do mundo da tecnologia, apesar de manter por muito tempo uma filosofia de margem de lucro de apenas 5% em todos os seus produtos. Isso vai mudar gradativamente, aos poucos. Mas até lá, a sua margem de vendas vai aumentar exponencialmente.

Nem todo mundo sabe disso, mas um dos segmentos onde a Xiaomi mais registra crescimento de participação de mercado é na venda de Smart TVs. E a melhor parte (para a Xiaomi) é que esse aumento acontece em casa, no sempre muito desejado mercado chinês. A empresa já é a marca mais popular do seu país de origem dentro desse segmento, superando (nessa ordem) Skyworth, Hisense, Haier e TCL.

A Xiaomi alcançou a marca de 8.4 milhões de unidades de suas Smart TVs na China durante o último trimestre de 2018. Esse volume de vendas se traduz em um aumento de expressivos 225.5% em comparação ao mesmo período do ano anterior. E os números combinados explicam a liderança da empresa no mercado chinês.

 

 

Muitos fatores explicam com facilidade essa liderança

 

Começando pelo preço, que é realmente matador. Além disso, a performance das suas Smart TVs, digna de produtos top de linha. Por fim, o comportamento caseiro dos chineses, onde 67% do total das vendas no país são de marcas do próprio país.

A Xiaomi agora começa a apostar nos modelos premium com Android TV, mas tudo ainda é muito voltado para o mercado chinês. O consumidor ocidental tem a vida um pouco mais complicada com os seus produtos. Se bem que, ao que tudo indica, isso também pode mudar, pois será uma questão de tempo para essas Smart TVs começarem a desembarcar no mercado internacional. A Xiaomi ganha mais e mais notoriedade em diferentes continentes, e como a marca está se reaproximando do Brasil, não seria nenhum absurdo ver uma loja física da empresa por aqui, vendendo as Smart TVs com preços competitivos.

Sonhar não custa nada, e eu me permito sonhar de vez em quando.

Os números alcançados pela Xiaomi nesse segmento são fantásticos. A empresa contraria a tendência negativa de um setor em crise, mostrando que pode fazer muito barulho com muito pouco. Na verdade, faz muita coisa com decisões corretas: entrega Smart TVs com especificações bem interessantes e trabalhando com o Android TV.

O que mais o consumidor pode querer?

Não… TV a cabo de graça ainda não rola nesse caso.