Mais polêmicas envolvendo o YouTube. Depois de revelado que o sistema de recomendações é utilizado por pedófilos para compartilhar vídeos através do sistema de comentários da plataforma, milhões de vídeos tiveram o seu sistema de comentários desabilitados, com os comentários considerados ilegais foram encaminhados para as autoridades.

Detalhe: em muitos casos os vídeos e os canais com esses vídeos não são aqueles que infringiam as normas do YouTube, mas que foram afetados da mesma forma.

A polêmica da pedofilia fez com que grandes empresas retirassem a publicidade da plataforma, e para proteger os anunciantes, o YouTube tomou uma decisão drástica. Aliás, o YouTube também confirmou que se o seu vídeo é adequado para os anunciantes mas tem comentários inapropriados, eles podem fazer com que o seu vídeo deixe de receber anúncios de forma parcial ou por completo.

A informação foi compartilhada na conta da plataforma do Twitter quando uma mãe reclamou que os vídeos do seu filho ginasta de cinco anos, que são totalmente inocentes, foram marcados como inapropriados para os anunciantes.

A mãe inclusive afirma ter uma das seções de comentários mais moderadas e amáveis dentro da comunidade, e não entende por que o YouTube não elimina os comentários inapropriados e suspende essas contas no lugar de afetar o seu canal de tal forma.

Nesse exato momento, muitos produtores de conteúdo estão se perguntando o mesmo. E não vamos nos esquecer que uma medida como essa pode afetar uma enorme quantidade de vídeos e canais por hordas de internautas com más intensões. Muitos canais contam com uma seção de comentários cheias de conteúdo ofensivo, e que podem agora resultar na desmonetização sem que o youtuber tenha qualquer tipo de culpa.

O YouTube ainda não se pronunciou sobre o assunto.

É importante lembrar que qualquer youtuber em questão pode ativar o recurso de moderação prévia de comentários na plataforma. Porém, revisar e aprovar manualmente os comentários pode ser algo humanamente impossível para os canais com grande volume de visualizações e comentários.

 

Via @TeamYouTube