Compartilhe

Para falar sobre o segundo filme, é preciso ver o primeiro. Entender a origem desses personagens e suas motivações.

Zumbilândia, filme de 2009, poderia simplesmente passar batido pela maioria. Mas provavelmente não passou por causa do nome de Woody Harrelson encabeçando o elenco, e pelo fato do longa estrear um ano antes da série de TV The Walking Dead, mostrando claramente que o universo de zumbis estava mais do que na moda.

Mas agora, dez anos depois, é possível constatar claramente como o universo de Zumbilândia era bem mais interessante e divertido que o da série insossa onde Rick Grimes mandou e desmandou de forma estúpida. Tallahassee é um nome muito mais legal, e é um líder bem mais competente do que o chefe do grupo de gafanhotos da série da AMC.

 

 

Zumbilândia é melhor que The Walking Dead em tudo

 

 

Não estou aqui afirmando que Zumbilândia é a oitava maravilha do mundo, mas entrega o que promete: é o filme galhofa, zoeira sem limites e totalmente descompromissado com o mínimo de verossimilidade na sua história ou narrativa.

É o tipo de filme que você não deve levar a sério, de forma alguma. Você deve entrar no cinema, simplesmente desligar o cérebro e se deixar levar pelo universo alternativo proposto. É claro que o longa deixa alguns tópicos bem interessantes para a reflexão, mesmo com a sequência de absurdos e piadas de humor negro que o roteiro e seus personagens apresentam.

Zumbilândia deixa alguns toques interessantes sobre como você deve viver a vida. Deixa recados claros sobre aproveitar os pequenos momentos, dar grande significado para os pequenos gestos e enfrentar os seus medos. O filme é muito competente em propor tais narrativas e apresentar de forma orgânica as soluções para os conflitos de cada personagem, mesmo que algumas dessas soluções sejam relativamente previsíveis.

Outro ponto positivo do filme está na forma em como ele constrói esses personagens diante do espectador, apresentando um pouco de suas origens (ou em como eles encararam essa situação de caos e apocalipse zumbi pela primeira vez), e revelando as suas motivações. Isso faz com que você crie fácil empatia e identificação com esses personagens.

 

 

Mas o grande ponto forte de Zumbilândia é o seu elenco. Não apenas porque são nomes que hoje estão todos devidamente consagrados, mas principalmente porque esse elenco funcionou muito bem juntos. E é ótimo ver essa turma reunida novamente, dez anos depois (e esse é, talvez, o principal motivo para assistir ao segundo filme que estreia hoje).

Zumbilândia dá uma surra em The Walking Dead, sem dó, nem piedade. Em alguns momentos, o filme lembra a igualmente ótima série Z Nation, já que aqui os zumbis correm e são minimamente inteligentes para representar uma ameaça real aos sobreviventes. Diferente do bando de moloides acéfalos que eram uma “ameaça” ao grupo de Rick Grimes.

 

 

É altamente recomendado que você assista a este primeiro filme antes de se aventurar em assistir Zumbilândia: Atire Duas Vezes, continuação que estreia hoje (24) no Brasil. Você vai entender melhor a origem dessa história e criar empatia com esses personagens. Isso será fundamental para a sua experiência com o novo filme ser ainda mais divertida.

E… sim… mesmo sem ser o melhor filme que você vai ver em 2019, Zumbilândia é um bom filme de 2009, que ainda diverte e muito. Altamente recomendado para quem quer ver uma história totalmente despretensiosa e descompromissada.

 


Compartilhe