depressão

Um estudo apresentado pela World Psychiatry Journal revela que determinados aplicativos de smartphones podem ajudar a reduzir os efeitos da depressão, especialmente quando o enfermo está em fases leves ou moderadas.

Cerca de 3.400 afetados pela enfermidade participaram do estudo, incluindo pacientes com diagnósticos de bipolaridade ou ansiedade. Esse grupo utilizou por meses apps dedicados à meditação e limpeza da mente.

A primeira conclusão alcançada é que não depende muito do tipo de aplicativo utilizado, já que todos eles foram eficientes. A grande notícia é que os apps se mostraram “significativamente efetivas” no alívio dos sintomas de tais doenças.

 

 

Porém, os autores do estudo esclarecem que este é apenas um avanço, e que não consideram o uso de aplicativos como alternativa a um tratamento com profissionais. Os pesquisadores querem se aprofundar nos estudos e o seu alcance para verificar se a correlação realmente se consolida.

O estudo revela que certos aplicativos podem melhorar a saúde dos doentes. Os participantes mostraram uma melhora no humor de um modo geral. Mas, por outro lado, a grande maioria das pessoas de países desenvolvidos (com maior incidência de depressão) contam com um smartphone.

Os autores do estudo querem definir claramente o tipo de aplicativo que mostra uma maior taxa de efetividade, levando em conta a grande quantidade de lojas de aplicativos nos diferentes ecossistemas.

 

Via Huffington Post,  Eurekalert