Compartilhe

Com as medidas de isolamento social ocasionadas pela pandemia do Coronavírus, quase tudo passou a ser online, desde o trabalho até o convívio com as outras pessoas, principalmente no setor de negócios.

Com o setor franquias não foi diferente, segundo a Associação Brasileira de Franchising (ABF), o setor até 2019 empregou cerca de 1,34 milhão de pessoas. E dentre estes profissionais, a área de tecnologia da informação (TI) é primordial para a manutenção de todas as operações.

A transformação digital foi acelerada, entre os meses de março e abril de 2020, o comércio digital brasileiro cresceu 48,3% . Esse integra a 41ª edição do Webshoppers, o mais amplo relatório sobre e-commerce do país, elaborado semestralmente pela EbitNielsen – em parceria com a Elo. Esse consumo digital exige uma estrutura de TI robusta e funcional.

“Nossa metodologia de ensino com a sala invertida proporcionou o ajuste ao modelo digital de ensino de forma rápida, unimos nossa equipe de tecnologia e elaboramos uma proposta para as aulas serem ao vivo, via Portal do Aluno e com o auxílio de uma plataforma de Webconferência. Esta foi a nossa inovação para manter a qualidade de ensino e conectar todos os nossos alunos que estão distribuídos pelo país”, diz Jefferson Vendrametto, Sócio-Acionista do Cebrac (Centro Brasileiro de Cursos que aposta nos profissionais de TI.

Os cursos nas áreas de tecnologia da informação também cresceram 15%, segundo a demanda do CEBRAC (Centro Brasileiro de Cursos), desde a quarentena. Os cursos são: Criação de Aplicativos, Desenvolvimento de Games, Hardware, Montagem e Manutenção, e Manutenção de Computadores e Celulares.

“Os cursos do CEBRAC de tecnologia tiveram este aumento na demanda porque o mercado precisa de mais profissionais da área de inovação, porém, além disso, há muitos jovens que buscam esse tipo de qualificação também por aptidão. O mercado de games, por exemplo, é um dos que mais cresceu neste momento de isolamento” explica Luciana Fontes, Superintendente do CEBRAC (Centro Brasileiro de Cursos).

O CEBRAC faturou o Selo de Excelência, premiação concedida pela ABF (Associação Brasileira do Franchising) que mede a satisfação dos franqueados e um dos requisitos avaliados é a inovação. ” Conquistamos esse selo também graças a equipe de TI que temos na franquia. Há profissionais com mais de uma década na rede, e eles auxiliaram nessa transição de aulas presenciais para ao vivo e on-line. Sem eles, nada disso seria possível e não teríamos tanta procura nos nossos cursos de tecnologia, finaliza Rogério Silva, Diretor Geral do CEBRAC.


Compartilhe