Mark Zuckerberg escreveu 3.200 palavras sobre o futuro do Facebook, que passa pela codificação dos aplicativos de chat da empresa. Depois de tantos escândalos de privacidade que destroçaram a imagem da rede social, o menino Zuck agora promete mudanças importantes na empresa.

Mudanças que levarão anos para se concretizar, e que estão resumidas no abandono do conceito Facebook.com e a sua galinha dos ovos de ouro: o feed de notícias.

A nova visão de Zuckerberg é fazer do Facebook uma rede social focada na privacidade, algo que ele deveria ter cuidado ao mencionar, considerando os problemas recentes. Para ele, o futuro da rede social passa pela fusão do Messenger com o WhatsApp e o Instagram nos aspectos de segurança nas comunicações.

Mas… dá para confiar no Facebook?

Historicamente, o Facebook promete muito e não cumpre tudo. Em 2014, a rede social prometeu uma nova ferramenta de acesso anônimo que nunca chegou. O recurso teoricamente permitia o acesso aos aplicativos e serviços com a sua conta do Facebook, mas sem ceder dados aos serviços.

Era para ser mais uma forma para os desenvolvedores integrarem as suas ferramentas de acesso aos seus aplicativos, já que eles deveriam aceitar o uso do botão do Facebook. Nunca aconteceu.

Mas um das promessas mais importantes aconteceu em maio de 2018, durante a conferência para desenvolvedores F8. Naquele evento, Zuckerberg apresentou o recurso ‘apagar histórico’, que apagava todo o histórico do que você visitou no Facebook, para que os anunciantes não tivessem acesso a essa informação.

E isso também nunca aconteceu.

Um artigo de 3.200 palavras não vai melhorar a reputação arranhada do Facebook no mundo tecnológico. Mesmo com a empresa contando com o WhatsApp, que é sim um aplicativo seguro com codificação robusta de ponta a ponta, mas que foi muito questionado sobre a privacidade existente nas conversas com empresas que usam o WhatsApp Business.

Sem falar no Messenger, utilizado por milhões e que segue sem ter codificação ponta a ponta. Aqui, o Facebook realmente está trabalhando duro… para oferecer o modo escuro.

Só eu percebi onde as prioridades estão bem claras?