Nem mesmo os monges budistas estão a salvo do império dos robôs, e alguns avanços são realmente perturbadores, como esse robô (aparentemente) indestrutível.

Pesquisadores na Bélgica desenvolveram uma nova categoria de robô cujo corpo pode se regenerar (quase) instantaneamente e de forma automática logo depois de ser cortado.

O projeto levou ao desenvolvimento de um novo tipo de material plástico para o corpo dos robôs, elaborado à base de elásticos recicláveis, sensíveis à temperatura e regenerativos.

O corpo do robô é composto por uma série de polímeros reticulados, formados a partir de grandes moléculas sensíveis ao calor. Quando o corpo danificado se expõe a uma temperatura equivalente a uma xícara de café, a rede do material se rompe, gerando uma reação que devolve ao material a sua composição original antes de sua ruptura.

Felizmente, o projeto tem alguns obstáculos antes de acabar com a humanidade.

O calor precisa ser aplicado por mais de 40 minutos para o robô se regenerar, e até o momento só temos protótipos simples, como o do vídeo no final do post.

Quando encontrarem uma maneira de reduzir os tempos de exposição ao calor, aí sim podemos nos preocupar e começar a correr.

 

 

 

+info