yahoo is dead

A notícia da venda do Yahoo! para a operadora de telefonia móvel norte-americana Verizon não foi uma surpresa. Aquela que um dia foi a gigante da internet estava mal das pernas, não apenas por não acompanhar a evolução da internet (e principalmente encarar o Google a sério), mas também por várias decisões equivocadas que a empresa tomou ao longo dos anos.

O que mais chama a atenção é que o Yahoo! chegou a valer US$ 100 bilhões. Tudo bem, não se cogitava a venda por esse valor. Mesmo assim, é muito acima dos míseros US$ 4.8 bilhões que a Verizon vai pagar.

Isso só mostra como a empresa perdeu o bonde do tempo.

 

Nem Marissa Mayer salvaria o Yahoo!

É sempre bom lembrar que, em um passado não muito distante, a Microsoft estava interessada na aquisição do Yahoo!, e por um valor bem acima do proposto. Porém, eles disseram NÃO para Bill Gates.

Eu entendo. Evitar um monopólio na internet ou no mundo da tecnologia é um movimento louvável. Mas esse monopólio aconteceu de qualquer maneira, uma vez que a Google se tornou uma gigante dominante do setor.

E isso porque eu me lembro que o Yahoo! foi uma das primeiras empresas de internet a investirem na publicidade em veículos tradicionais. A empresa tinha comerciais divertidos e descolados. Chamava a atenção por buscar ser diferente. Mas no final das contas, agiu como uma Nokia da vida: conservadora, sem saber a hora de desistir.

Também é curioso ver como nem Marissa Mayer deu conta de reverter a situação, e tomando decisões pouco práticas para a recuperação da empresa. As compras do Flickr e do Tumblr não se justificaram, muito menos se pagaram. E os investimentos no Yahoo! Screen não se explicam.

Aliás, é mais uma coisa que a minha “série zumbi” preferida fez: Community não só morreu de vez, como matou o serviço de streaming da empresa, e agora é enterrada junta com o Yahoo!… que coisa…

É uma pena. Um importante capítulo da história da internet chega ao fim. Quem sabe a Verizon mantenha viva a marca Yahoo!. O futuro ainda é incerto. De qualquer forma, é mais uma lenda que desaparece.

E mais uma lição de como não podemos deixar de prestar atenção para os movimentos do mundo da tecnologia. Não dá para ficar apenas assistindo os demais. É preciso inovar sempre.

Senão… adeus!