Smith Corona-hack

Chris Gregg, um técnico em informática que trabalha na Tufts University (Massachusetts, EUA), transformou uma velha máquina de escrever em uma impressora singular, conectada a um dos seus computadores. Ele pegou uma Smith Corona do ano de 1960, e combinou com um Arduino Uno para obter os resultados desejados.

Ainda que a Smith Corona seja uma máquina de escrever elétrica, ela não contava com interruptores eletrônicos para serem ativados a partir de um computador. Isso fez com que Gregg abandonasse o projeto por um tempo, mas uma ideia de um amigo funcionou, e agora a máquina de escrever/impressora não só funciona, mas é capaz de escrever com ‘ritmo’.

Gregg aproveitou a sugestão do seu amigo, e utilizou pequenos eletroímãs para acionar as teclas da máquina de escrever. O processo foi bem complicado, já que ele teve que cabear cada dispositivo a cada tecla, que por sua vez foram conectadas ao Arduino Uno.

O mini PC recebe os comandos e instruções a partir de um aplicativo do MacBook, que interpreta para cada letra uma pulsação automática da tecla correspondente na máquina de escrever. Gregg foi além, conectando uma pequena campainha na máquina para que ela reproduza a ‘Sinfonia da Máquina de Escrever’, de Leroy Anderson.

Vídeo a seguir.

 

Via PixyNixyTufts