Há uma certa resistência entre os grandes fabricantes de dispositivos Android para abraçar o Android One. Inicialmente pensado nos dispositivos de entrada, essa versão não fez muito sucesso inicialmente, o que obrigou a Google a mudar um pouco as coisas.

A versão então se tornou aberta para qualquer fabricante, e é preciso frisar que o software só oferece pontos positivos para o consumidor. Os dispositivos com Android One recebem as atualizações diretamente da Google, e o fabricante precisa apenas adaptar um ou outro aplicativo ou funcionalidade específica.

É o Android puro, simples e eficaz, que faz o que precisa sem gastar muitos recursos de hardware. Logo, por que os grandes fabricantes não abraçam o Android One em seus dispositivos?

Vamos pegar dois exemplos: Samsung e Huawei.

A Samsung já afirmou que trabalha em um smartphone com o Android Go, que segue a mesma ideologia do One, mas para smartphones de entrada, com menos funcionalidades para uma experiência mais fluída. Também é especulado que a Huawei se prepara para trazer um dispositivo Go ao mercado, mas nada está confirmado até agora.

O principal motivo para os grandes fabricantes ignorarem o Android One é: dinheiro. Smartphones de linha média e de entrada são os mais vendidos da maioria dos fabricantes, e se eles abrirem mão de suas respectivas interfaces de usuário nesses equipamentos, várias parcerias valiosas são desfeitas.

A Samsung fechou com a Microsoft para oferecer os apps de Redmond pré-instalados nos equipamentos. Algo que não seria possível com o Android One.

A Huawei também tem parcerias com Facebook, Trip Advisor e desenvolvedores de jogos que colocam demos nos seus dispositivos.

Sem falar em lojas de aplicativos específicos, que também ficariam de fora no Android One.

Marcas como Xiaomi e Nokia não tem nada a perder com o Android One, e oferecem dispositivos com o Android puro em mercados selecionados.

E, se os grandes fabricantes investissem no Android One, as chances de sucesso são enormes. Os usuários iriam gostar muito do sistema. E isso seria péssimo para as parcerias que os fabricantes fizeram com outras empresas.

Ou seja, quando um grande fabricante lançar um smartphone com Android One, é sinal que esse fabricante está desesperado, precisando reconquistar o mercado de qualquer maneira.