@oEduardoMoreira

De tudo, um pouco de mim

Tag Archives: xbox

Xbox 360 tem 85% do mercado brasileiro de games: isso não me surpreende em nada!

by

Uma das notícias de maior destaque no dia de hoje (22) foi a informação do instituto GFK, que afirma que o Xbox 360 é o console com maior participação de mercado no Brasil da sua geração, com 85% de participação de mercado. Se levarmos em conta todos os consoles ainda produzidos no Brasil (indo do Master System até o PlayStation 2, passando pelos consoles “alternativos” de outros fabricantes), a participação do console da Microsoft no ano passado já era de 65%, um ano depois do inicio da fabricação local do console. E posso dizer que esses números não me surpreendem.

Recentemente, escrevi aqui no meu blog sobre o sucesso do Xbox 360 no mundo dos consoles, sendo este o console mais comercializado no mundo. Mas talvez o que chame a atenção no estudo da GFK seja justamente essa vantagem considerada acachapante entre o console da Microsoft e os demais (PlayStation 3 e Nintendo Wii). Que o Xbox 360 era líder de mercado, eu já imaginava. Mas não com uma vantagem tão ampla. Mas isso pode ser explicado por alguns fatores.

O primeiro, e o principal deles, é o preço do produto. O valor do Xbox 360 na sua versão mais básica é de R$ 799 (preço sugerido pela Microsoft). Isso é possível porque o console é fabricado no país, recebendo todos os incentivos fiscais do Governo Federal, o que possibilita a redução do preço do produto, que antes custava R$ 1.199. O seu principal concorrente, o PlayStation 3, está disponível na sua versão mais barata por R$ 1.299 (preço sugerido pela Sony). É claro que você pode encontrar o PS3 por um preço mais barato nos mercados “alternativos” (a.k.a. Mercadolivre), mas esse não é o índice adotado para essa análise de mercado. O PS3 deve sofrer uma redução de preços drástica no Brasil, uma vez que sua produção nacional já foi aprovada, e deve começar ainda em 2013. Mas até lá, o Xbox 360 será dominante em vendas.

O segundo fator está na implementação na oferta de conteúdo da rede Xbox Live. A Live da Microsoft tem mais de 10 anos de vida, e nesse período, cresceu de forma exponencial. No Brasil, mesmo contando com um conteúdo consideravelmente menor que a Live norte-americana, a oferta de conteúdos aumenta de forma considerável. Hoje, a Live oferece recursos de navegação na web, SkyDrive, músicas, vídeos, integração com o Windows 8 e o Windows Phone, aplicativos de streamings de vídeo e, é claro, jogos. Além disso, a tendência de usuários em jogar online é cada vez maior, e em uma rede estável e com boa qualidade final. Você pode até reclamar em pagar R$ 89/ano para assinar a Xbox Live Gold para jogar online. Mas é esse investimento extra que garante uma maior estabilidade e qualidade da Live nesse aspecto. Além disso, para quem pagou R$ 800 (no mínimo) em um console de videogames (que vai além dos jogos, diga-se de passagem), pagar (em média) R$ 7.42/mês não quer dizer nada, certo?

Outro motivo puxado pela Live é a oferta de preços mais competitivos para os jogos. É claro que o ideal é que os jogos custassem menos, e que os lançamentos viessem por preços “compráveis”, e não custando entre R$ 180 a R$ 200. Mas existem outras alternativas. A própria Live oferece alternativas de jogos via download, com preços bem razoáveis. Exemplos: jogos da série Need for Speed custando entre R$ 39,00 e R$ 79,00, Sonic 4 Episode 1 e 2 por menos de 2 mil MS Points, entre outras alternativas. Isso, sem falar que você pode aproveitar promoções em lojas de e-commerces e as ofertas de compra/venda/troca nos mercados alternativos. Você não precisa ficar com um jogo o resto da vida. Zerou? Sabe que não vai jogar mais? Passa para frente, coloca um pouco mais de dinheiro em cima e compra outro jogo. Simples assim.

Por fim, o fator pirataria. Mesmo que a GFK não coloque esse fator, temos que colocar nessa lista, mas com algumas observações. O Xbox 360 é mais fácil de ser pirateado que o PlayStation 3, e o único efeito colateral (na teoria) é que você é banido da Live. Diferente do PS3, que em algumas atualizações simplesmente inutilizava o console em caso de tentativa de destravamento. Bem sei que o mercado pirata ainda movimenta muito dinheiro, e faz com que a Microsoft e outras fabricantes de games ainda tenham prejuízos (ou lucros menores). Porém, 2012 registrou um índice de vendas recorde no mercado de vendas de jogos para consoles no Brasil, e esses índices sobem a cada ano. O perfil do consumidor brasileiro de games está mudando. Já não encontro tantas unidades do Xbox 360 desbloqueado no mercado “alternativo”, e os estudos da GFK também levam em consideração o volume de vendas de consoles através de pontos de venda oficiais.

Na verdade, torço para que o cenário de games em 2013 seja ainda mais competitivo e dinâmico. Torço para que o PS3 caia de preço, para que os preços sejam mais justos, e para que o Brasil possa se tornar de forma efetiva um dos principais mercados mundiais de games. A pesquisa mostra apenas o que é fato a alguns anos: a opção da Microsoft é mais “econômica”, e para muitos, mais vantajosa na sua relação custo/benefício, por diferentes fatores. E que 2013 seja ainda melhor nesse sentido. Para “sonystas” e “caixistas”.

A grande virada do Projeto Xbox no mundo dos games

by

Eu tenho um Xbox 360. Minha missão para 2013 é ter um PlayStation 3, mas isso pode ser abortado caso a Sony realmente anuncie um novo console no meio do ano, conforme é especulado. Mas o fato é que, no momento, eu estou muito satisfeito com o console da Microsoft. Mais do que eu esperava. Na verdade, muito mais do que eu poderia supor. Mas devo confessar que eu não sou o tipo de gamer que foi o alvo da Microsoft para eles virarem o jogo do mercado dos videogames, saindo de uma verdadeira piada que era o primeiro Xbox, para o console mais popular dos principais mercados mundiais, posição essa ocupada pelo protagonista desse post, o Xbox 360.

Se olhamos lá atrás, em 2001, quando Bill Gates decidiu jogar o primeiro Xbox no ato do seu lançamento, em um dos telões gigantes da Times Square em Nova York, vimos um console promissor, mas cheio de problemas. O maior deles? A relação custo/benefício. O console era avançado demais, mas com poucos títulos, uma funcionalidade prática questionável, e um volume de vendas que ficou bem abaixo do esperado. Mas a Microsoft seguiu o esquema “devagar e sempre”, comendo pelas beiradas. Afinal de contas, 24 milhões de unidades vendidas não é algo que pode ser desconsiderado.

O primeiro passo para a virada do Projeto Xbox no mundo dos games foi o lançamento da Xbox Live, em 2002. No começo, ela não era uma rede lá muito útil, mas depois de dez anos, ela virou “a alma” do Xbox 360. Mesmo cobrando para permitir a interação dos jogadores através da internet (mas, convenhamos, R$ 89 por ano não é nada para quem gasta quase R$ 800 por um console, vai…), ela é hoje uma proposta muito interessante para expansão da experiência de jogo, e mais: rende boa parte dos lucros das produtoras de jogos e da própria Microsoft. Afinal de contas, para alguns títulos, é quase impossível não adquirir os pacotes de expansão, e alguns jogos na Live contam com preços muito menores que aqueles cobrados quando ofertados na mídia física. Eu mesmo adquiri o HD de 250 GB pensando nessa possibilidade, e não me arrependo.

O próximo passo veio com os títulos exclusivos. Não que os seus principais concorrentes já não fizessem isso (fazem, até hoje), mas também impulsionou muito nas vendas do console. O Xbox tem que agradecer de joelhos o fato da série Halo existir. Muitos jogadores ficaram com o Xbox por causa da série Halo, e continuaram com o Xbox 360 também por causa dessa série de jogos. A série Forza é outra responsável pelo sucesso do console. Ok, muitos preferem a série Gran Turismo (eu mesmo prefiro), mas a série Forza Motorsport evoluiu muito da versão 3 para a 4, e Forza Horizon é um jogo simplesmente espetacular.

Até que, finalmente, veio o Kinect, que fez o que era considerado impossível: “roubar” os jogadores casuais da Nintendo, que já tinha reinventado a roda dos videogames com o Nintendo Wii. Muitos podem criticar pelo fato da Microsoft ter deixado de lado os gamers mais “hardcore”, alvo inicial do Xbox/Xbox 360 para priorizar os jogadores casuais. Mas até a Microsoft sacou que era a grande oportunidade de não só atrair os jogadores casuais, mas as pessoas que nunca jogaram videogames na vida, e não apenas para jogar videogames, mas para controlar a sua televisão, os arquivos multimídia, ver vídeos no YouTube ou Netflix, assistir os eventos esportivos da ESPN, navegar na internet… enfim, ser a efetiva central de entretenimento doméstico que o PlayStation 2 prometia desde os anos 2000, mas com uma experiência muito mais intuitiva, prática, e dispensando o controle remoto.

Resultado: o Kinect é o gadget que mais rápido se vendeu na história. Simplesmente isso.

Hoje, em pouco mais de um ano do Xbox 360, eu já tenho um bom acervo de jogos físicos e salvos no HD do console. Tudo bem, eu procuro muitas promoções de jogos, e sempre busco comprar títulos físicos em um preço abaixo do seu valor sugerido. Mas na Xbox Live você encontra ótimas promoções, com preços realmente muito abaixo da média do mercado. Até mesmo os jogos que são oferecidos em MS Points podem ser um bom negócio (normalmente são jogos da linha Arcade). Hoje, jogo bem mais os jogos de videogame do que antes, e entendo que com outro console não investiria tanto. Quero dizer, acho que com o PlayStation 3 o investimento seria o mesmo. Mas isso eu só vou descobrir em 2013.

A Microsoft foi do desastre ao triunfo no Projeto Xbox, e hoje tem o console mais popular do mundo. Se não é o mais popular para você, é outra história. Mas ele é o mais vendido dos principais mercados mundiais, e isso é o que está contando nesse momento. Acredito que o Kinect deu uma bela sobrevida ao Xbox 360, mas também imagino que a empresa de Redmond não vai levar muito tempo para apresentar o seu sucessor. Afinal de contas, o Xbox 360 vai completar 8 anos de vida em 2013, e no mundo da tecnologia, isso é uma eternidade.

Mas o ano só está começando. Vamos esperar a E3 2013 em junho, e o suposto anúncio da Sony em maio. Muitas águas vão rolar nesse ano. Até lá, eu sigo jogando Forza Horizon.

Bancada de Testes | Microsoft Chatpad para Xbox 360

by

Em um belo dia, quando decidi assistir vídeos no Xbox 360, me deparei com a dificuldade em digitar os termos no campo de busca. A mesma dificuldade foi detectada ao buscar um determinado jogo, códigos de licença ou até mesmo para incluir o nome do jogador no cadastro. A maioria dos consoles recentes não possui uma forma simplificada de inserir dados. Para isso, existem produtos como o Microsoft Chatpad para Xbox 360, que é uma mão na roda nessas horas. Já tenho o produto desde o ano passado, e só agora decidi fazer uma breve análise do mesmo.

Para que serve?

O Microsoft Chatpad é um acessório complementar para o controle original do Xbox 360, sendo um teclado físico que facilita a inserção dados em diversas atividades do console. Foi também pensado nos usuários que gostam de conversar com os amigos através da Xbox Live, tanto por e-mails quanto nos mensageiros instantâneos.

Conhecendo o produto

Quando vi o produto pela primeira vez, ele me remeteu a um teclado QWERTY de celulares mais antigos (como alguns modelos da Samsung com teclado QWERTY silde na horizontal). E isso, não só no formato, mas também na tonalidade das cores e no material empregado para a sua construção.

A parte traseira busca acompanhar as linhas de design do próprio controle, até mesmo para não atrapalhar a pegada do jogador no uso normal. Mesmo porque se espera que o gamer fique várias horas com o controle nas mãos, e não pode ser essa peça branca que vai atrapalhar a sua vida, correto?

ATENÇÃO! Não se deixe enganar! Existem outros teclados “alternativos”, que prometem mundos e fundos. Mas o Microsoft Chatpad original tem o seu verso com essa aparência que você vê acima, e com o selo em prata da Microsoft na parte inferior. Fique atento na hora da compra.

Na parte inferior, temos o conector para fones de ouvido. Infelizmente (e aparentemente, pois ainda não me aprofundei no assunto), o Chatpad só é compatível com o headset da Microsoft, que acompanha o acessório. Tentei conectar outros fones nesse conector. Nenhum deles funcionou.

Visão geral da parte superior do Microsoft Chatpad. Destaque para o conector central, que realiza a comunicação do teclado com o joystick em si, além do conector para fones de ouvido, que também está presente na parte inferior do controle original.

Detalhe também para os cantos emborrachados na parte superior, estrategicamente colocados para não machucar o material do joystick original.

Uma das coisas que garantem que o Chatpad só vai funcionar em controles originais da Microsoft está nos seus encaixes, que acompanham os espaços de encaixe do próprio controle. Além disso, como já disse antes, o acessório acompanha a linha de design do controle, “complementando” o que seria o espaço vazio presente no controle. Me lembro que quando testei o joystick Razer Onza Tournament Edition no TargetHD.net, já havia observado que o acessório só funcionaria em um controle original, justamente pelo design exclusivo.

O acessório em si, no seu peso, é relativamente leve. Bom, bem mais leve que o controle do Xbox 360, e não causando um acréscimo relevante no peso do conjunto. Ou seja, se você já se acostumou com aquilo que o joystick do X360 pesa, você não vai ter problemas ao usar esse teclado.

O teclado em si é muito bom para o que se propõe a fazer. As teclas são razoavelmente bem espaçadas, com um bom tamanho (levando em conta que você vai usar os polegares o tempo todo), com uma boa resistência na hora de digitar termos e palavras. Os erros são bem pequenos para aqueles que já estão acostumados com um teclado físico. Além disso, o console é retroiluminado, o que facilita a vida dos gamers com hábitos noturnos. E, mesmo com a necessidade de uma tecla especial para acessar os caracteres especiais e acentos, a sua produtividade é muito boa. Até porque 99% dos termos que você vai digitar não usam acentos.

Um detalhe para um uso adequado do produto, e pode parecer bem trivial esse detalhe (mas vale a pena para os novatos): ele só funciona se o mesmo estiver PERFEITAMENTE ENCAIXADO no joystick. Você pode até achar que na parte superior, onde estão os conectores, tudo está bem encaixado. Mas vale a pena ficar atento na parte inferior do encaixe, pois são elas que efetivamente “prendem” o teclado no joystick.

O resultado do joystick, depois de encaixado, é esse aqui.

Observe como a inclinação do teclado favorece uma digitação simples, com uma curvatura pensada na parte inferior. Esse ângulo inclinado favorece uma digitação rápida.

No final das contas, o Microsoft Chatpad para Xbox 360 vale o investimento. Facilita muito a vida no uso com buscas de termos e digitação de textos curtos, códigos de produtos especiais e dados do jogador. Não compromete muito a pegada do joystick (isso pode variar de acordo com o tamanho da mão do jogador, e o seu nível de exigência), e todo acessório pensado para complementar a usabilidade de um produto é bem vindo.

Abaixo, o review em vídeo do produto.

Atari comemora 40 anos de Pong, com um game para iOS e um Xbox 360 modificado

by

Para comemorar os 40 anos de nascimento do game Pong, a Atari lançou um aplicativo gratuito na Apple App Store, o Pong World, que é “o primeiro jogo de Pong oficial para o iOS” (existem milhares no estilo na loja da Apple. Além disso, lançou um console Xbox 360 modificado, com a aparência de um Atari 2600, com tela integrada. Esse console está sendo sorteado na página da Atari no Facebook. Abaixo, vídeo demonstrativo do jogo para iOS.

A grande lição da E3 2012 (se é que teve alguma)

by

e3-2012

Mais uma E3 Games acabou. Muita gente foi para Los Angeles jogar em primeira mão os jogos que serão lançados no mercado a partir do segundo semestre, encontrar mulheres fantasiadas de cosplay, e ver as novidades do mercado. Novidades? Bom, algumas. Não todas.

Muita gente reclamou pela escassez de novidades na parte de hardware, mas temos que entender que os tempos são outros. Desenvolver novos produtos custa muito dinheiro, e apesar do investimento no desenvolvimento de novos títulos custar milhões de dólares, ainda é algo mais barato do que os bilhões que são gastos no desenvolvimento dos novos consoles. De qualquer forma, pelo menos a Nintendo se definiu em relação ao Wii U, que chega ao mercado “no Natal de 2012”, sem revelar preços ou datas. Não sei se ele vai dar tão certo como o Nintendo Wii (que, cá pra nós, reinventou a roda do mercado de videogames, mesmo que você seja um jogador hardcore, e acha que controle com sensor de movimento é coisa de criancinha), mas entendo que pelo menos eles estão pensando de forma correta.

Veja bem (quem começa frase assim quer enrolar alguém… e é justamente isso o que eu quero): a Microsoft e a Sony deixaram a dica. Videogame hoje não é apenas aquele produto onde você senta no sofá, fica diante da TV e joga os seus jogos. Você assiste eventos esportivos ao vivo, filmes e séries, ouve música, acessa os conteúdos do seu computador, navega pela internet, entre outras atividades. Some à isso o controle do Wii U, que tem uma tela com uma dimensão boa o suficiente para você assistir conteúdos via streaming, como Netflix ou YouTube. E como todo mundo está querendo um tablet hoje em dia… por que não combinar vários conceitos em um único produto?

A Microsoft foi outra que mostrou novidades. Muitas na parte de acordos para a plataforma do Xbox (como com o UFC, expansão do acordo com o Netflx e ESPN, etc). Mas a principal novidade foi o SmartGlass, que é um recurso que permite o controle do Xbox 360 através de dispositivos iOS, Android, PCs e Windows 8. É uma espécie da “AirPlay” para o console da Microsoft. Ok, tem gente chata que vai dizer “A Apple já faiza isso faz tempo…”. Aí, eu vou dizer: “ok, pega a sua chupeta e publica em um jornal”, e complemento dizendo que tal recurso expande a possibilidade de integração das plataformas da Microsoft. Que é justamente isso o que a gigante de Redmond quer.

Outro detalhe importante: a Microsoft informou em sua coletiva que hoje, o Xbox 360 é o console #1 do planeta. E eles estão certos. O Kinect “reinventou a reinvenção da roda dos videogames”, conquistou um novo público dentro do seu produto (público esse que a própria Microsoft estava com dificuldades em alcançar), e abriu um novo leque de possibilidades não só dentro do seu segmento de entretenimento, mas para outros segmentos. E isso se confirma no lançamento do Kinect for Windows. Essa é uma mina de ouro que a Microsoft vai explorar ao máximo, fazendo com que o Xbox 360 tenha, pelo menos, mais dois anos de vida útil, com o anúncio da próxima geração do seu console para 2014 (na minha opinião, e claro).

Já a Sony… honestamente, eu não sei porque a Sony insiste no PlayStation Move. Eu não conheço ninguém que tenha o PS Move, e ninguém que seja feliz DE VERDADE com ele. Mas se a Sony insiste… depois de alguns títulos e acessórios para o modelo (um volante com suporte ao Move), o momento de maior destaque da coletiva foi… God of War!

Aliás, o que mais chamou a atenção na E3 2012 foram os jogos. Electronic Arts, Ubisoft, Warner Bros. Entertainment e outros desenvolvedores se esmeraram para impressionar os presentes com novos títulos. E talvez essa seja a principal lição da E3 2012. Em um mercado que é mais lucrativo do que os cinemas, é mais interessante investir nos títulos que vão abastecer esse mercado, uma vez que as plataformas de jogos estão estabelecidas.

A E3 2012 foi realmente fraca, mas foi o suficiente para que muitos gamers fiquem felizes no segundo semestre. Entendo que, hoje, quem comprou o seu console, não vai mais migrar de plataforma. E, mesmo que um novo console seja lançado, dificilmente vai apostar em uma nova plataforma. Exceto no período do Natal, onde todo mundo gasta um pouco mais de forma natural. Principalmente os japoneses e os norte-americanos.

De qualquer forma, eu já vou guardar um pouco de dinheiro para o FIFA 13, PES 2013 e Madden 13. Recomendo que você faça o mesmo.

Vídeo: Ben Heck criou um aparelho para comer um burrito e jogar o Xbox 360 ao mesmo tempo

by

Ben Hack é um dos hackers de videogames mais famosos do mundo. Ele faz modificações de absolutamente tudo o que se possa imaginar, e cria produtos que fazem designers oficiais de consoles ficarem babando. Dessa vez, o expert estava com vontade de jogar o seu Xbox 360 e comer o seu burrito ao mesmo tempo. E colocou as mãos na massa.

O resultado é assombroso, e a melhor parte é que a maioria daqueles que tiverem vontade de repetir a façanha, poderão fazer em casa, sem maiores dificuldades. É só assistir ao vídeo abaixo de 14 minutos, anotar todos os passos… e trabalhar!



Via Gizmologia

Xbox 360 é um ótimo console de games. Com o Kinect então…

by

Minha experiência com o Xbox 360 está sendo a melhor possível. Ao longo de 2011, eu planejei a compra do console para o final do ano, mas quando vi o dólar subindo de forma enlouquecida, não tive dúvidas: peguei as economias e comprei o console (na época, não sabia que o produto seria fabricado no Brasil). E não me arrependo!

Tudo bem, não jogo tanto quanto eu gostaria. Mas do pouco que consigo utilizar, ele me garante boas horas de diversão. Se comparados aos consoles das gerações passadas, as diferenças de recursos são gritantes, mas a diferença mais destacada é a qualidade da imagem. O produto mostra claramente que para extrair toda a qualidade de imagem possível, precisa de um cabo HDMI para reproduzir o conteúdo do console. E esqueça os conectores tradicionais. Você não vai precisar deles.

O Xbox 360 está conseguindo algo que não esperava: me fazer planejar a compra de um PlayStation 3. Eu imaginava que não necessitava dos dois consoles, mas fato é que o PS3 é um dos consoles mais vendidos do mundo (mesmo com todos os problemas da PSN), sem falar nos jogos exclusivos da plataforma de games da Sony. Fiquei um bom tempo com o PlayStation 2, que me garantiu ótimas horas de diversão. Além disso, seria mais um item de tecnologia em casa. E convenhamos, quem não quer isso?

Agora, uma coisa é fato: o Kinect não é algo “de Deus” (brincadeira, hein…). O sensor de movimentos da Microsoft deu uma sobrevida ao Xbox 360, oferecendo novas possibilidades de jogos e recursos multimídia. O periférico funciona conforme prometido, e mesmo em jogos considerados casuais, como o Kinect Sports, a diversão é garantida, e a mecânica dos jogos segue de forma fiel a proposta do jogo.

Porém, nada é tão perfeito quanto a proposta de Dance Central. Estou com as duas versões do jogo, e ambos aproveitam o melhor do Kinect. Algo que eu disse na demonstração do produto há dois anos, na E3 Games, se comprova na prática.

“Agora, os nerds sabem dançar!”

Qualquer pessoa minimamente coordenada consegue produzir boas rotinas de dança, sem muitas dificuldades. Isso é praticamente um milagre dentro do mundo dos games. Ainda mais para alguém de uma geração que viveu jogando seus jogos preferidos sentado no sofá. Na verdade, continuo sendo um sedentário que prefere a comodidade do sofá. Mesmo porque, temos ótimos jogos a serem controlados com o joystick (principalmente FIFA 12 e F1 2011). Mas não posso negar que o Kinect revolucionou o mercado, tal como o Nintendo Wii fez na época do seu lançamento.

Não pretendo adquirir o PlayStation Move. Acho meio restritivo e limitado. Não estou dizendo que é ruim. Só afirmo que, para mim, não vai rolar. Afinal de contas, quer liberdade maior que “olha, mamãe, sem as mãos!”? Na minha opinião, não. Mas, de qualquer forma, a Sony pode agradecer à Microsoft. Vai ganhar mais um cliente para seus consoles de games graças à performance de um produto concorrente.

Uma das vantagens daqueles que pretendem comprar um console hoje é poder adquirir o produto fabricado no Brasil, e com garantia. Esse pode ser um excelente atrativo para os usuários que querem uma garantia a mais, apesar do lendário problema das “luzes da morte” não acontecer mais.

Enfim, minhas férias serão regadas com muita jogatina. Mesmo falando sobre o Xbox 360, recomendo que você passe as festas de final de ano jogando os seus jogos preferidos em um bom console, ou no computador. Afinal de contas, pode ser melhor do que passar com aquele primo chato (que vai tentar jogar PES 2012 com você), ou com aquela tia pegajosa (que vai pedir pra ver o especial do Roberto Carlos em Jerusalém, que já passou, justo na hora que você quer jogar Gears of War 3).

Não seria a hora de você comprar outra televisão para você?

Xbox busca usuários para testar a sua nova interface

by

O blog Major Nelson anunciou que a Microsoft está procurando usuários dispostos a testar a nova interface do Xbox 360. Os testes certamente estão relacionados aos novos serviços de vídeo que a Microsoft vai oferecer em breve, com essas novas e interessantes opções que estão vinculadas com o Windpws Phone.

A melhor parte é que não há menções à restrições regionais para inscrições. Para mais detalhes sobre o post publicado, clique aqui.

Fã de Gears of War constrói uma réplica da Lancer em LEGO, com carregador removível e motosserra integrada

by

PLUM B, um modder fanático por Gears of War, que já não sabia mais como investir seu tempo antes de chegar o terceiro jogo da série, criou uma reprodução complexa e funcional do rifle usado pelos protagonistas do game, usando peças de LEGO e um talento excepcional, evidenciando detalhes, como o seu carregador da balas de borracha e a motosserra funcional integrada. Mais fotos (e um vídeo) abaixo.



via DVICE