Os smartphones gaming voltaram a ficar em evidência, mas no passado, eles não eram muito populares. A Nokia bem que tentou com o N-Gage, o primeiro smartphone gaming de verdade. E ela tentou isso, quando ainda era líder absoluta do mercado de telefonia móvel.

A Nokia se antecipou ao que temos hoje, com o N-Gage, celular pensado nos gamers em todos os detalhes. O telefone até contava com ‘cartuchos’ de games.

O Nokia N-Gage chegou ao mundo em 7 de outubro de 2003, e era um dispositivo que lançava a proposta do “melhor de dois mundos” entre o celular e o videogame portátil. Se peso era de 137 gramas, e ele contava com 2 cm de espessura, além de um design com controle incorporado. O sistema operacional era o Symbian 6.1 com a capa de personalização Series 60 na sua primeira versão.

 

 

Em 2003, não haviam lojas online para jogos. Tudo era em formato físico. Logo, a Nokia dotou o N-Gage com um slot para cartões MMC, comercializando os jogos em formato RS-MMC ou cartões MMC em formato reduzido.

O tamanho dos cartões era completado comum adaptador que era encaixado na bandeja dos cartões MMC normais. Para 2003, estava ótimo: o RS-MMC podia armazenar até 2 GB de dados.

Algo necessário: o N-Gage contava com apenas 3.48 MB de armazenamento interno, e restrito para o sistema operacional. O celular contava com rádio FM, GPS, Bluetooth (1.1) e permitia navegação na internet em formato WAP.

 

 

O N-Gage com tela de 2.1 polegadas (208 x 176 pixels) foi a primeira aposta do mercado mobile para consoles portáteis, em uma época onde o Nintendo Gameboy triunfava, e o Sega Game Gear e o SNK Neo Geo Pocket corriam por fora.

Hoje, o N-Gage é história, mas ficou na memória de muita gente. Uma interessante aposta que era muito a frente do seu tempo. Mas, vendo o que acontece hoje no mercado gaming cada vez mais emergente, alguém aí duvida que podemos ter uma re-edição do N-Gage com Android e a potência de 2018?

Eu não duvido de mais nada nesse mundo.