Compartilhe

A Apple marcou um antes e um depois no mercado de smarpthones com a chegada do iPhone ao mundo. O dispositivo oferecia desde a sua primeira versão uma grande quantidade de funções, alguns aplicativos e componentes interessantes, e o resultado final do produto foi considerado inovador na época.

Hoje, o iPhone é um dispositivo único dentro desse mercado, com o seu estilo, design e proposta mundialmente conhecidos pelos usuários. Porém, durante o seu processo de fabricação, os engenheiros tiveram que trabalhar com diferentes propósitos antes de chegar no produto final.

E olhar para esse processo de desenvolvimento pode ser algo fascinante para qualquer viciado em tecnologia.

 

 

 

O primeiro protótipo do iPhone era assim…

 

A primeira geração do iPhone foi lançada em 2007. Contava com uma tela de 3.5 polegadas, um tamanho que, para a sua época, era considerado como ‘enorme’. Para isso, eliminou o teclado e apresentou um corpo onde a tela touch dominava. Uma ousadia para aquela época, já que a BlackBerry dominava o mercado de smartphones com os seus dispositivos com teclado físico.

Até o presente momento, ninguém conhecia como era o protótipo do primeiro iPhone, e ninguém soube como era a aparência prévia do produto até o seu lançamento. Agora, o The Verge mostra o misterioso protótipo, para o deleite dos fanáticos de tecnologia.

 

 

Os primeiros protótipos do iPhone ficaram desse jeito por dois motivos muito importantes.

Um desses motivos é que Steve Jobs estava trabalhando dessa maneira com os desenvolvedores do dispositivo como medida de segurança, para assim evitar vazamentos de um produto que era totalmente inovador. Mesmo assim, nessa espécie de placa de computador, estava cada uma das funções do futuro smartphone em modo macro, para depois tudo ser reduzido para o tamanho do produto final.

Tudo o que era necessário para produzir um iPhone aparecia na placa dos circuitos, mas de maneira separada. As antenas de WiFi, o rádio para o sinal de telefonia móvel, os dois tipos de armazenamentos, câmera, portas USB e até um botão de Home. Tudo estava lá.

Além das funções de hardware, também era possível testar o software do futuro dispositivo que, nesse protótipo, contava com o sistema operacional Darwin.

No final das contas, olhar para o protótipo do iPhone e depois constatar em como está hoje o mesmo smartphone no iPhone 11 é uma forma muito interessante de testemunhar a evolução tecnológica de um dispositivo. E reforça o trabalho incrível que a Apple teve com um produto que é hoje uma das principais referências da tecnologia e do mercado de consumo eletrônico.

 

 

 

 

Via The Verge


Compartilhe