Quando comecei com os meus blogs de tecnologia, os primeiros reviews que fiz foram de produtos que eu comprei com o esforço do meu trabalho. E faço isso até hoje. Primeiro, porque acho interessante o processo de descrever os produtos em detalhes. Segundo, porque ainda quero analisar alguns produtos por livre e espontânea vontade. Até porque por muitas vezes é isso o que um blogueiro pode e deve fazer.

Porém, quando você começa a viver do blog, escrevendo profissionalmente sobre o assunto (e por cinco anos no caso do TargetHD, completados em junho de 2013), você começa a estabelecer parâmetros e objetivos. Um desses objetivos é passar a informação ao leitor com o menor custo possível. Até porque você está oferecendo um conteúdo de graça, arcando muitas vezes com os custos para manter esse projeto no ar.

Hoje, o TargetHD.net se paga e paga as minhas contas. Não que o blog tivesse a função principal disso no seu início, mas alcançou esse patamar depois de muito trabalho diário, horas e horas diante do computador, com dificuldades das mais diversas, que não vem ao caso descrever agora. O blog tem os seus custos para se manter no ar, e diferente de outros grandes blogs de tecnologia, não possui um parceiro forte ou um grande portal patrocinando essa iniciativa. Tudo aqui é pago pelos recursos levantados pelo próprio blog.

Logo, posts patrocinados, ações promocionais, links patrocinados e eventuais investimentos de terceiros são sempre muito bem vindos. Para que eu possa fazer o meu trabalho da melhor forma possível, e com uma certa tranquilidade para produzir o conteúdo para vocês.

Porém, nem todas as assessorias de imprensa entendem assim. Alguns infelizmente acreditam que vivemos de um “o seu trabalho é ótimo” ou um “parabéns pelo blog”. Acreditam que podem obter publicidade gratuita apenas pelo fator “somos nós que estamos oferecendo conteúdo exclusivo para você”. Ledo engano: vocês, assessorias, são pagas para que o produto dos seus clientes alcancem o maior número de pessoas possível, e principalmente: alcance o público-alvo qualificado.

E, nesse sentido, e modéstia à parte, o público do TargetHD.net é bem qualificado, felizmente.

Recentemente, tive um problema com uma das fabricantes de tecnologia móvel, que impunha a condição do blogueiro ser responsável pelo pagamento da devolução do produto após um empréstimo para um review. Ok, você pode até achar mesquinharia da minha parte. Mas, vamos pensar um pouco: essa mesma empresa pagou uma grana para que blogueiros assistissem in loco jogos da Copa das Confederações, e não quer arcar com R$ 25 de um SEDEX? Quem é o mesquinho aqui?

O TargetHD.net tem algumas normas. Uma delas é não cobrar pelos reviews produzidos no blog (até porque quem cobra para fazer review não faz um review isento de opiniões), desde que não tenha nenhum custo no processo de recebimento e devolução do produto analisado. Já cobrei de assessorias que me fizeram ter gastos extras com produtos não retirados nos Correios, e no final, tudo deu certo.

A imensa maioria das assessorias de imprensa que trabalham com o blog aceitam tal condição de arcar com os custos de envio e devolução do produto analisado, e entendem que tal iniciativa não apenas incentiva o blog a falar do seu produto, mas principalmente, é um custo irrisório para uma divulgação espontânea do seu produto. Até porque quem compra um produto de tecnologia procura justamente os blogs independentes para saber a opinião de quem testou o produto como um usuário final antes de fazer a compra, e não um grande portal que só faz a propaganda desse produto.

Entendo que toda regra tem sua exceção, e que toda assessoria tem o direito de trabalhar da forma que entende ser a melhor para si. Porém, não posso flexibilizar nesse ponto. Entendo que, mesmo em um valor irrisório, é por uma questão de princípios: a maioria esmagadora das assessorias já sabe como é que os blogs trabalham, e aceitam arcar com essas despesas sem maiores dificuldades.

E sim, eu entendo que essa assessoria em específico, que se recusa a enviar produtos por causa de R$ 25, está perdendo uma excelente oportunidade de divulgar o seu produto da forma que o consumidor de tecnologia quer ver: com imparcialidade.

Até porque mandar blogueiro para a final da Copa das Confederações “é mais barato”, não é mesmo? (antes que me xinguem: nada contra quem foi; o questionamento é sobre a filosofia da empresa em não investir nos veículos que podem divulgar o seu produto de forma direta e objetiva)