Compartilhe

Para quem ainda acredita que regimes ditatoriais ajudam a melhorar a economia, e as violações aos Direitos Humanos e liberdades civis e o autoritarismo não são argumentos fortes o suficiente para essas pessoas mudarem de ideia, um estudo desmitificou a teoria do bem esta econômico produzido por esse tipo de “governo”.

Investigadores da RMIT University e a Victoria UNiversity de Melbourne (Austrália) questionam as ditaduras ocorridas entre 1858 e 2010, analisando uma era onde os eleitores trocavam voluntariamente suas liberdades políticas em troca de promessas de um forte desempenho econômico. Uma postura que pode ser facilmente encontrada em alguns líderes das principais nações do mundo nesse momento.

Porém, o estudo mostra como a população precisam entender como a história mostra que o discurso forte é uma coisa, e a prática desastrosa é outra. Os resultados empíricos do estudo não mostram evidências que os líderes autocráticos alcançaram o êxito em entregar um crescimento econômico de forma sistemática.

O estudo reforça que as ditaduras que deram certo foram mera casualidade. Até mesmo os ditadores com crescimento positivo só o fizeram porque, basicamente, estavam no lugar certo, na hora certa, surfando na onda do crescimento que já estava acontecendo, por outros fatores ou promovido por gestões anteriores.

 

 

Então… por que algumas pessoas são enganados?

 

 

Porque as pessoas simplesmente acreditam nas promessas desses ditadores.

Na natureza, a ditadura é uma estratégia evolutiva que dá certo (para quem consegue se impor, obviamente), inclusive quando o regime conduz a falsos positivos nos resultados. É melhor colocar a culpa em uma árvore para justificar a ação do lenhador, ou a ação de um rival da tribo para matar a sua mulher grávida.

E essa é uma tendência que se mantém até hoje.

Muito provavelmente é por isso que algumas pessoas atribuem os resultados de consequências coletivas às ações de seus líderes ou de alguns indivíduos em especial, inclusive quando os líderes não contam com qualquer tipo de controle sobre os resultados, e isso faz com que o coletivo aceite com mais facilidade os estilos de liderança autocráticos.

E, com esse post, eu acabo de explicar muitas coisas que estão acontecendo nesse momento ao redor do mundo. Para bom entendedor (e seres inteligentes que conseguem ler nas entrelinhas), está bem claro.

 

+info


Compartilhe