oneplus

A OnePlus ainda não tem grande presença de mercado no Brasil. E, mesmo assim, consegue ser uma das marcas de maior prestígio entre os geeks brasileiros. E isso é algo que deve ser muito respeitado e valorizado.

O OnePlus 5T gerou uma expectativa que pode ser comparada aos modelos top de linha de outros fabricantes. No final das contas, é um modelo que, para quem tem o OnePlus 5, a troca pode não valer a pena.

Mesmo assim. Conseguir atrair os holofotes para si dessa forma é para poucos. A marca está no mesmo nível que Samsung, Apple e Xiaomi nesse aspecto. E não é só aqui que ela consegue se destacar.

No mercado internacional, mesmo se limitando a lançar produtos que são a cara dos dispositivos da Oppo, ela se fez presente. Do seu jeito, mas se fez. Mesmo porque todos se lembraram da OnePlus quando as comparações com os smartphones da Oppo se fizeram presentes.

Eu acho uma estratégia muito válida. A expansão das empresas pelas suas marcas secundárias. O tal do “dividir para conquistar” que ouvimos por diversas vezes.

A Huawei decidiu fazer a mesma coisa, com a marca Honor. Distribuiu suas forças e critérios de prioridades entre as duas marcas que ela controla, para assim expandir a sua presença no mercado em escala global, mas também dando atenção ao cobiçado mercado asiático.

Resultado: a Honor está, aos poucos, avançando perigosamente naquele que é o seu principal objetivo: liderar o mercado global de smartphones até 2020 (ou 2021, já que eles teriam prorrogado esse prazo). Eu achava que isso seria impossível, mas tal possibilidade é mais real e palpável do que nunca.

E o caso da OnePlus não é muito diferente.

A OnePlus em si, mesmo que de forma tímida, está expandindo sua presença internacional com a sua marca própria, e se vale da Oppo para ser presente no mercado asiático. E as duas marcas se retroalimentam para crescer.

Isso é muito bom. Mesmo. As chances da OnePlus seguir oferecendo produtos com ótima relação custo-benefício só aumentam. E, quem sabe, com sorte, o Brasil passa a ser uma das possibilidades de negócios da marca. Eu sei que o nosso país atrapalha em várias coisas. Mas é preciso ter interesse da marca para chegar até nós.

E nós, geeks brasileiros, esperamos a OnePlus de braços abertos. E faz tempo.