Ir ao conteúdo

Quase metade dos novos trainees da Vivo são negros

Compartilhe

A última edição do Programa de Trainee da Vivo foi a mais concorrida da companhia. Ao todo, mais de 41 mil inscritos disputaram as 30 oportunidades oferecidas pela empresa para atuação em São Paulo. O Programa de Trainee da Vivo tem duração de 18 meses e a nova turma começa em fevereiro.

Do total de vagas ofertadas para 2021, no mínimo 30% das oportunidades seriam destinadas a candidatos negros.

“Mas superamos nosso compromisso e esse número foi para 43%. Nós encontramos excelentes profissionais. Somos uma marca inclusiva, com a diversidade em nosso DNA, e entendemos a importância de estimular uma cultura com mais pluralidade e representatividade na companhia. Jovens talentos serão nossos líderes do futuro e esse é um dos nossos movimentos para estimular a diversidade racial na liderança”, destaca Niva Ribeiro, VP de Pessoas da Vivo.

A empresa preparou diversas ações para conseguir atingir diferentes públicos e regiões. Vídeos com trainees de turmas passadas e também com executivos da Vivo e colaboradores de áreas estratégicas foram veiculados nas redes sociais da companhia para aproximar os candidatos com a cultura, além do propósito da empresa, de digitalizar para aproximar. Outra ferramenta utilizada foi a realização de lives, que abordaram desafios, oportunidades e temas de diversidade.

O esforço da companhia atraiu participantes de todo o país, com pluralidade de perfis. Cerca de metade das inscrições foram de fora de São Paulo. A seleção, 100% online e inclusiva, procurou candidatos com diversidade de gênero, raça, curso de formação, universidade, além de diferentes localidades. Fluência em idioma inglês não foi exigida.

O processo aconteceu no final do ano passado e permitiu que os interessados não só participassem das etapas, como também adquirissem conhecimento e vivências em metodologias ágeis, que já são uma realidade na companhia. Os participantes foram capacitados e aprenderam a trabalhar com Scrum e também com OKRs.

O novo trainee Rafael Amorim, 27 anos, já está de malas prontas para São Paulo. Rafael, que mora em Salvador (BA), é formado em engenharia química e destaca o aprendizado que teve durante o processo seletivo. “Tive que estudar e me preparar para as dinâmicas. Já participei de outras seleções para trainee, mas essa foi a que eu mais aprendi. Mesmo que não conseguisse a vaga, já teria um conhecimento adquirido”, comenta. Para ele, a aprovação na seleção foi uma realização. “Trainee é uma posição em que você é preparado para ser um líder e eu tenho esse desejo”, conclui.

Além do Programa de Trainee, que tem como objetivo formar líderes do futuro, a empresa criou metas para incluir mais negros em cargos de gestão. Atualmente, entre os profissionais negros, a representação é de 26% da equipe, com grande parte trabalhando nas áreas de engenharia e em lojas. Para melhorar esse cenário, books de talentos internos foram estruturados, além da garantia de pelo menos um negro nas finais de processos seletivos para cargos como gerente, coordenador e supervisor.


Compartilhe
Publicado emNotícias