smartphones

2017 foi um grande ano para o mercado de smartphones. O final do ano foi especialmente interessante, com grandes lançamentos.

As principais marcas ofereceram lançamentos de peso, com dispositivos que podem agradar a qualquer tipo de usuário.

Começando pelo óbvio: o novo iPhone X.

Um dispositivo que finalmente apresentou o novo. Algo que os fãs da marca esperavam há muito tempo. Pode não agradar a todos, mas é uma quebra de paradigma, ou mudança de proposta.

Os novos smartphones Pixel da Google são excelentes, mesmo com os seus problemas. E smartphones da gigante de Mountain View só motivam os demais fabricantes a lançar produtos cada vez melhores.

A Huawei fez um trabalho incrível, fechando parcerias com a Leica, investindo em design de qualidade e trabalhando em um marketing agressivo. Segue firme e forte no seu objetivo de ser líder do mercado mobile. E está levando essa proposta muito a sério.

A Samsung é líder do mercado, e não por acaso. Tem marketing pesado, desenvolvimento tecnológico galopante e fabrica quase todos os seus componentes, sem falar que fornece componentes para terceiros.

Além disso, superou os problemas do Galaxy Note 7, as deficiências da sua interface de usuário e está ditando as novas regras com o Infinity Display.

Pois bem… e o que 2018 nos reserva?

Pode ser um ano mais limitado nas inovações, com muitos refinamentos das novidades vistas em 2017.

A Apple pode no máximo lançar um iPhone X Plus, e deve investir nas melhorias do iOS, que são necessárias depois de tantos problemas. A mesma regra vale para a Samsung: pelo o que vimos de vazamentos até agora, os futuros Galaxy S9/S9+ só devem receber mais performance, alguns ajustes de software e a mudança da famigerada posição do leitor de digitais. E nada mais.

Com isso, os demais fabricantes podem trazer algo novo, se afirmando como candidatos a maior cota de mercado. Aqui, o primeiro nome que pensamos é o da Xiaomi. A empresa procura os parceiros certos, expandindo sua participação de mercado.

A Huawei é outra que precisa ser lembrado, já que tem uma grande presença no mercado de linha média.

2018 pode ser o ano da introdução do leitor de digitais na tela, além de melhores especificações entre os modelos de entrada e intermediários de todas as marcas.

Em resumo: não devemos ter grandes inovações no segmento de smartphones em 2018. Questionamos a validade de smartphones dobráveis. Logo, se nada de muito novo acontecer nesse ano, não será nenhum absurdo.

Pelo contrário: seria algo absolutamente normal.