Essa foto que você vê acima se refere ao segundo texto publicado pela Apple no Reino Unido, incluindo a afirmação formal da empresa, “reconhecendo” que a Samsung não copiou o iPad no seu modelo Galaxy Tab 10.1. Porém, a primeira nota de desculpas ainda rende polêmica, com o mesmo tribunal britânico tentando mostrar para a empresa de Tim Cook que não adianta tentar entrar em uma queda de braço com eles, burlando de forma técnica uma decisão.

O Tribunal de Apelações da Inglaterra e do País de Gales considerou uma afronta a iniciativa da Apple em colocar no primeiro pedido de desculpas em seu site um texto com conteúdo dúbio, tornando assim a nota publicada em seu site “falsa e enganosa”. Segundo o tribunal, o texto é considerado incoerente por incluir declarações “calculadas para confundir o leitor”, ao introduzir por exemplo as referências de casos semelhantes em outros países, sem relação direta.

Com isso, a Apple dava a entender que a decisão do tribunal britânico era uma “exceção”, e que a regra para os demais países era que “a Samsung copiou a Apple” (de forma indireta). Nem isso acaba sendo 100% a verdade, uma vez que a causa não foi julgada em todo o continente europeu, e fora dele, em alguns países asiáticos, a Apple não conseguiu provar o seu ponto, perdendo nos tribunais.

Como já sabemos, a Apple corrigiu a primeira nota, publicando um segundo comunicado bem mais simples (e, mesmo assim, em seu site britânico, ainda usaram um “truque” de programação web para que a nota não ficasse 100% visível e, de quebra, fez mais uma propaganda do iPad Mini). Mesmo assim, o tribunal britânico agora quer que a empresa pague os custos da segunda audiência para a nova decisão, além de uma indenização financeira para a Samsung, compensando assim as eventuais perdas causadas pelo texto original.

Desnecessário dizer que tudo isso poderia ter sido evitado. Também é desnecessário dizer que já era de se esperar que a Apple não ia deixar barato nesse caso, e que certamente eles iriam dar uma bela cutucada na sua declaração, apenas para não dar o braço a torcer para a Samsung. De novo, insisto em minha teoria: as fabricantes de tecnologia precisam parar de perder o seu precioso tempo (e mais precioso ainda dinheiro) nos tribunais, e focar no que realmente importa: o usuário. Trabalhar nas melhores opções. Simples assim.

Por fim, a sentença do juiz finaliza com uma frase que soa como uma espécie de advertência para Tim Cook e seus advogados: “Espero que a falta de integridade mostrada neste incidente seja totalmente atípica da Apple”.

Para um bom entendedor, meia palavra basta, não é mesmo?

Via The Verge