facebook-home-01

Na semana passada, Mark Zuckerberg apresentou em um evento para a imprensa o novo Facebook Home. Ele afirma que esta é uma nova experiência que qualquer usuário do Android poderá desfrutar. Mas na verdade, estamos diante de uma launcher que substitui aquela que você recebe em seu smartphone quando você o retira da caixa pela primeira vez. Essa “capa” que fica sobre o sistema operacional se centra em nossas relações sociais, e se distancia do tradicional conceito de áreas de trabalho cheias de aplicativos.

Partindo do ponto de vista empresarial, o Facebook vai tirar proveito disso, colocando anúncios no lugar dos ícones. Aguarde e confie, isso vai acontecer. Mas nem tudo é tão ruim quanto parece. Por outro lado, todos aqueles que desejam ficar por dentro de tudo o que os seus amigos, o Facebook Home parece ser a melhor opção, uma vez que oferece um grande nível de personalização, se comparado com qualquer outro aplicativo já apresentado. Nesse post, quero abordar esses aspectos mais comerciais do lançamento da última quinta-feira (04).

Uma oportunidade de negócios

Em primeiro lugar, temos que levar em conta que o Facebook é uma empresa que paga os seus serviços em grande parte graças aos seus recursos adquiridos via publicidade. Todos aqueles que esperavam um novo serviço sem anúncios se equivocaram. E mesmo que ele não conte com anúncios agora, eles vão começar a aparecer em breve, principalmente através do recurso Cover Feed. A inclusão dessa publicidade vai ajudar de forma favorável a monetizar o uso da plataforma, através do smartphone, que até agora era algo muito escasso.

Porém, algumas pessoas concordam com isso, e outras, nem tanto (como em tudo nesse mundo). Mas é sempre bom lembrar para os puristas que o conceito do “tudo de graça” não existe. É uma utopia de alguns. Na minha opinião, se a publicidade não for tão intrusiva, a opção é válida. Uso vários aplicativos nos meus smartphones que contam com pequenos banners, que não prejudicam a funcionalidade do aplicativo. E, se você observar, em via de regra, o Facebook conhece muito bem os seus usuários. E esse é um grande ponto a favor, uma vez que eles podem entender como os usuários querem ver as publicidades, e de acordo com os gostos e interesses dos usuários.

Um smartphone mais pessoal

Por outro lado, nos encontramos com o tema da personalização. O Android é conhecido por ser um sistema muito versátil, onde cada um pode modificá-lo a seu gosto. O Facebook sabiamente usou esse “buraco” para oferecer aos seus usuários uma experiência muito mais social. As interfaces com ícones de aplicativos são muito tradicionais, e os widgets permitem um acesso para atualizações dinâmicas em tempo real. O Facebook Home reinventa esse conceito, colocando tudo isso em uma única interface. A partir de agora, podemos ver o que os nossos amigos estão fazendo dando uma simples olhada no smartphone, e deslizando o dedo na tela para a esquerda ou direita. Além disso, poderemos falar com eles a partir de qualquer site ou aplicativo, de forma rápida, simples e dinâmica.

A personalização é um tema polêmico. Muitos usuários querem modificar ao máximo o seu smartphone, enquanto que outros se acostumaram com o seu design de série. Por exemplo, no caso do iOS. Recentemente, acusamos a Apple de não inovar mais no seu sistema móvel, ou de sequer permitir que o usuário faça as suas modificações. Muitos acabam recorrendo para o jailbreak para resolver os seus problemas, o que também não está em questão nesse momento. A esperança é que, agora, Jony Ive está encabeçando o desenvolvimento do novo iOS, que promete modernizar essa experiência que está congelada desde 2007.

Além de funcionar bem, uma boa interface deve ser eficiente. Pode ser que a Facebook Home não seja a ferramenta que todos procuram, mas ao menos apresenta alguma coisa diferente. De fato, o smartphone que utilizamos principalmente para nos comunicarmos, e precisamos de aplicativos para isso. Logo, por que não evitar um passo? Por que não mostrar diretamente na tela o que a gente ia olhar de qualquer forma? Nesse sentido, o Facebook Home é um projeto que vai dar o que falar.