apple-music

O serviço de músicas por streaming é um nicho de mercado que chama a atenção de muitos. Mesmo assim, apesar de todas as iniciativas novas que aparecem, poucas delas fizeram sucesso. Vale lembrar o recente fim da BBM Music como uma prova que não adianta simplesmente ter uma ideia. Ela precisa ser boa para convencer o usuário. E a Apple é a próxima empresa que acredita ter a nova ideia de US$ 1 milhão (ou bilhão), com um novo serviço de streaming de músicas.

Segundo informa a CNET, a gigante de Cupertino está próxima a fechar um acordo com a Warner Music e Universal Music Group, que já são parceiras da Apple na iTunes, o que seria parte fundamental para iniciar a oferta do novo serviço. Não é de hoje que Tim Cook mostra claro interesse em desenvolver um serviço de streaming de músicas para sua empresa. Afinal de contas, a venda de músicas na iTunes é um grande sucesso, oferecendo lucros significativos para os artistas que lá disponibilizam as suas faixas, e por consequência, para a Apple.

Porém, esse é um modelo de negócios que tendem a ficar para trás, uma vez que serviços que permitem ao internauta ouvir as músicas que quiser, na internet, por um preço único por mês, tal como funciona hoje o Spotify. A Apple apresentou em 2011 o iTunes Match, que permite o armazenamento de até 25 mil músicas na nuvem, permitindo que você ouça a partir de qualquer dispositivo da empresa, pelo preço de US$ 25/ano. O problema é que isso exige que você faça o upload de toda a sua biblioteca de músicas no iTunes, o que é um trabalho árduo, principalmente para quem não tem uma boa conexão com a internet.

A música via streaming é, hoje, a melhor opção para quem gosta de música. Se o recurso se integrar com perfeição ao iTunes, tudo pode se tornar mais simples para os usuários da Apple. Além disso, temos que acrescentar que tudo será mais simples para os usuários da empresa de Cupertino, uma vez que eles já usam o software para a maioria de suas atividades multimídia. Para a Apple conquistar de vez os seus usuários, a oferta de músicas por streaming da empresa deve ser algo gratuito, com a veiculação eventual de publicidade.

No geral, o serviço de músicas via streaming da Apple deve adentrar nesse já disputado mercado como um produto que realmente mereça o interesse dos usuários. Atrair esses usuários para testar seus recursos, funcionalidades e diferenciais. Além disso, não devemos nos esquecer que o Google também deve estrear um serviço semelhante até o meio do ano de 2013, o que significa que a competição tende a ser muito intensa, com gigantes da tecnologia envolvidos no mesmo segmento. Ou seja, não muda muito daquilo que já vemos hoje no mundo da tecnologia.