Compartilhe

O que foi a quarentena de Elon Musk, minha gente?

E podemos dizer que a quarentena do Elon acabou… porque ele quis! Decidiu que suas fábricas da Tesla podem voltar a funcionar nos Estados Unidos, mesmo em um momento onde os números não mostram um achatamento da curva de infectados no país e sem as devidas autorizações legais para encerrar esse isolamento.

Por que ele fez isso? Porque ele é Elon Musk.

Tá, tem mais alguns motivos para isso, e vou explicar alguns deles nesse post.

 

 

 

Elon Musk, e sua quarentena “virado no jiraya”

 

 

Algumas pessoas entendem que o Elon Musk é uma espécie de gênio incompreendido, ou um Tony Stark do mundo real. Nada disso. Essa quarentena mostrou claramente que ele não passa de um babaca bilionário esquizofrênico drogado maluco e sem maiores objetivos na vida a não ser criar o caos e caçar briga com algumas pessoas.

Musk não se limitou a publicar tweets absurdos durante a quarentena. Ele recebeu o apoio de Donald Trump na sua decisão em reabrir as fábricas da Tesla, e retribuiu isso quase dando um beijo na boca do presidente norte-americano, e criticando de forma dura as pessoas que estavam praticando o isolamento social para conter uma pandemia que, nos Estados Unidos, já contaminou mais de 1.5 milhão de pessoas.

Tal e como acontece com alguns acéfalos que seguem o Adolfinho, o ditadorzinho wannabe no Brasil.

Enquanto isso, ele ainda teve algum tempo para terminar o tal túnel privado de alta velocidade em Las Vegas, que só vai servir para ele mesmo. Bom, eu mesmo achava que esse túnel não ia ficar pronto, e acabei queimando a minha língua. Mas como é algo que não fede nem cheira para a maioria das pessoas… quem se importa, não é mesmo?

Mas a grande obra de Elon Musk não foi produzida sozinha. Ele participou de uma “feat.” com a sua mina, a cantora Grimes (se você não conhece quem é ela, não tem problema… só que você está meio velho para saber quem é ela, e isso também não é um problema…). E eu realmente ainda estou tentando entender por que eles fizeram isso.

Ter um filho é algo maravilhoso. Bom, pelo menos eu estou deduzindo, pois não sou pai, logo, não consigo entender exatamente como é. Suponho que é bom porque meus pais tiveram três e, por sorte ou por amor, nem eu ou as minhas irmãs acabaram em um lixão ou doados pelo homem do saco.

Sério… os pais fazem terrorismo psicológico com os filhos desde os primeiros anos de vida.

Enfim, Elon e Grimes decidiram dar ao seu filho o esdrúxulo nome de “X Æ A-12”.

Meu… que p***a é essa?

 

 

Tá, eles explicaram o nome como uma combinação absurda de nome de avião com termo élfico e inteligência artificial, mas no final das contas o nome da criança é um código. “X Æ A-12” é até difícil de pronunciar, e precisa de um tutorial no YouTube para aprender a falar esse nome.

No final das contas, é Elon Musk sendo Elon Musk: um bilionário playboy que quer ser filantropo (mas acaba xingando as pessoas que sabem mais que ele) e que realmente se acha o Tony Stark do mundo real. Ele tem a carisma de muita gente, mas acabou perdendo popularidade ao apoiar publicamente o babaca do Trump.

Mas, parando para pensar… Musk só agiu como ele mesmo, muito provavelmente sob efeito de drogas (ele mesmo confessou que passa a maior parte do tempo drogado) e de sua irracionalidade que se mistura com a visão futurista de sua mente.

E cabe a você decidir se vale a pena seguir acompanhando a vida de uma pessoa assim. Acompanhe os seus feitos e lançamentos, e deixe um pouco de lado a conta do Twitter dele.

Fica a dica.

 


Compartilhe