650_1000_captura_de_pantalla_2014

Pense em uma visita virtual no cérebro. Pode ser o sonho de qualquer um, menos do criador do Second Life, que pode passear no cérebro de sua mulher Yvette durante o evento SXSW.

Philip Rosedale fez o tour com a ajuda de um Oculus Rift e o sistema em desenvolvimento com a sua colaboração, em parceria com neurocientistas de duas universidades norte-americanas. O projeto chamado Glass Brain tem como objetivo escanear o cérebro e visualizar em temo real e em três dimensões a atividade cerebral, com a ajuda de um capacete que realiza um electro encefalograma.

Rosedale foi capaz de ver o caminho que os impulsos elétricos faziam no cérebro de sua esposa diante de diferentes estímulos externos em tempo real.

Além das óbvias vantagens médicas desse modo de visualização de atividade cerebral, para o criador do Second Life há um objetivo mais direto: traduzir para um mundo virtual as mesmas sensações que temos frente a frente, para melhorar os avatares e a interação dos nosso personagens. E ele já pensa no futuro mundo virtual que já está em desenvolvimento em sua empresa, mas sem muitos detalhes por enquanto.

Vídeo demonstrativo a seguir.

 

+info