Ir ao conteúdo

Até a Xiaomi vai retirar o carregador dos smartphones… vergonha!

Compartilhe

 

E minhas férias mais uma vez são interrompidas pelo meu ofício em escrever sobre temas polêmicos de tecnologia. Nesse caso em específico, é mais para reforçar que a Xiaomi engrossou a lista de “Maria-vai-com-as-outras” da Apple, iniciada vergonhosamente pela Samsung.

E, de forma bem irônica, reforçando a declaração aleatória que fiz em um artigo já publicado, onde afirmei na brincadeira que, ao que tudo indica, a ASUS vai ser a única a não repetir o movimento. Se bem que, com o andar da carruagem, ela deve fazer o mesmo, mais cedo ou mais tarde.

 

 

 

Pra quê ter identidade própria, não é mesmo, dona Xiaomi?

 

Quando você pensa que uma das marcas mais populares do mercado poderia ter personalidade e identidade própria a ponto de não seguir os passos da Apple, se dá conta que ninguém vai desafiar a lógica do mundo da tecnologia, já que ser diferente dos demais dá mais trabalho e resulta em lucros menores.

Por, isso, até dá para entender por que a Xiaomi decidiu, de forma vergonhosa, repetir os passos da Apple e da Samsung. Inclusive na desculpa esfarrapada e vexatória de apelar para a preservação do meio ambiente para não incorporar o carregador no kit de venda do seu futuro smartphone top de linha, o Xiaomi Mi 11.

O grande problema aqui é o mesmo problema que eu tenho com o argumento da Apple e, por tabela, com o argumento da Samsung: a desculpa simplesmente não me convence. Aliás, não convence a ninguém, pois a conta simplesmente não fecha.

Até entendo que um monte de gente tem vários carregadores em casa (eu mesmo tenho vários, de vários dispositivos) e, pelo menos na teoria, esse é um item que não seria mais necessário para muita gente. Porém, boa parte desses carregadores não são compatíveis com as novas tecnologias de recarga rápida em vários dos produtos recém lançados. E isso é péssimo, em vários níveis.

O principal problema aqui é: se você quer usar o recurso de recarga rápida presente nos novos smartphones, você será obrigado a investir EM SEPARADO em um novo carregador para o seu novo telefone, já que o seu carregador antigo não vai servir de muita coisa.

E, no lugar dos fabricantes incentivarem os usuários com um programa de troca ou descarte adequado dos carregadores antigos, simplesmente obrigam os clientes na compra de um novo acessório para receber todos os benefícios e novas tecnologias disponíveis nos novos dispositivos.

E, obviamente, isso dificilmente vai acontecer.

 

 

 

Até a Xiaomi decepcionou você. Qual será a próxima?

 

Eu aposto em LG e Motorola.

As duas tem tudo para seguir os passos da Apple e das demais, anunciando nos futuros lançamentos a remoção do carregador no kit de venda de seus novos produtos. Algo que, sinceramente, beira ao nefasto: é criar uma nova forma de obter lucro em cima dos usuários com um item que é sim importante para o bom funcionamento do dispositivo.

Tem muita gente brava com a Xiaomi nesse momento, e com toda a razão. A empresa asiática demonstrava ser diferente das demais em vários aspectos. Mas agora, mostra que é um mais do mesmo na busca pelo lucro. E isso nem é o problema.

Mas copiar a Apple no seu pior é algo digno de críticas e reclamações generalizadas.

Prevejo alguns fãs pulando do barco. Ou acabando com a idolatria irracional, o que não deixa de ser algo positivo.

 


Compartilhe
Publicado emMinha OpiniãoSmartphonesTelefonia