Início » Notícias » Celular de graça com o fim do 3G? Sério?

Celular de graça com o fim do 3G? Sério?

Compartilhe

Pense na seguinte situação: as redes 3G serão desativadas, e para que você não fique totalmente offline, a sua operadora de telefonia móvel oferece um smartphone de graça para você.

Um sonho, certo?

Pois esse é um sonho real, tanto nos Estados Unidos como no Brasil. A diferença é que, lá fora, as leis são cumpridas, enquanto que aqui…bom, aqui você bem sabe como as coisas NÃO funcionam.

Vamos explicar o que está acontecendo.

 

 

 

Smartphone 4G de graça para promover a mudança

 

 

Quem está oferecendo smartphones de forma totalmente gratuita para os usuários é a AT&T, que anunciou a desativação de suas redes 3G nos Estados Unidos em fevereiro de 2022. Isso mesmo, amigo leitor: lá, as redes 3G ainda funcionam, e bem melhor do que aqui.

Para incentivar os usuários a migrarem para uma rede 4G, a operadora está oferecendo smartphones compatíveis com essa tecnologia de rede de forma gratuita. Algo incrível para nós, brasileiros, que somos penalizados pelas operadoras de tempos em tempos com um serviço ruim e preços abusivos.

Porém, não espere um milagre, pois isso não existe. Desconfie de tudo o que é de graça. Neste caso, a AT&T oferece um smartphone com Android 9 Pie, 1 GB de RAM, 16 GB de armazenamento e bateria removível de 2.500 mAh. Ou seja, é um telefone bem básico, só para a operadora dizer que “está dando um telefone para migrar para o 4G”.

De qualquer forma, é melhor do que nada.

Por outro lado, não resta dúvidas que muitos usuários vão simplesmente colocar a mão no bolso para adquirir um smartphone “de verdade” para poder utilizar as novas redes 4G ou 5G da operadora norte-americana. Não é porque a lei diz que o cliente precisa receber um telefone novo que significa que a operadora vai oferecer um dispositivo minimamente decente.

Com isso, a AT&T cumpre com as regras previamente estabelecidas, mas sem necessariamente oferecer um telefone que realmente será funcional para qualquer usuário.

O mais engraçado de tudo isso é que, se isso acontecer no Brasil, a regra é a mesma. A legislação brasileira prevê que, caso aconteça uma mudança de padrões de tecnologia por uma operadora, a mesma não pode onerar o usuário com isso.

Ou seja, o cliente brasileiro também tem o direito a receber um smartphone compatível com essa nova tecnologia, caso a decisão pela mudança seja da operadora. Porém, dá pra desconfiar que nenhum brasileiro vai receber um novo telefone se isso acontecer.

E, se receber, não será um iPhone. No máximo um telefone da Positivo, e olhe lá.


Compartilhe