Compartilhe

Um estudo realizado pela Real Sociedade de Londres em 2015 determinou que a contaminação lumínica se transformou em um problema de saúde pública, pois afetava o desempenho das pessoas nos ambientes profissionais e domésticos, além de deixar muita gente doente com o passar do tempo.

O estudo afirma que, ao anoitecer, as luzes elétricas interrompem nossos ritmos naturais, e as consequências poderiam ser muito piores do que apenas um pouco de sono perdido. Existem alguns exemplos que reforçam tal teoria, como as longas jornadas de trabalho em escritórios muito bem iluminados à noite e os cassinos que contam com um excesso de iluminação para manter as pessoas acordadas por mais tempo para jogar e apostar.

Com tudo isso em mente, o fotógrafo e cineasta Asif Islam decidiu comparar os céus noturnos de diferentes lugares, colocando em um vídeo o resultado final, que serve como duro sinal de alerta sobre como essa iluminação lumínica está afetando a nossa visão do céu noturno e, por consequência, a nossa vida.

 

 

Onde estão as estrelas?

Islam utilizou o mapa do DarkSiteFinder, que ilustra através de zonas de calor a visibilidade das estrelas em diferentes regiões do planeta. O cineasta escolheu desde a cidade mais contaminada com a luz até um lugar onde era possível ver as estrelas de forma fascinante.

De Los Angeles até o deserto Great Basin em Nevada, o vídeo mostra em resolução 8K e formato timelapse as diferenças do que podemos ver ou deixar de ver, dependendo do local em que estamos.

 

A contaminação lumínica faz com que as pessoas percam a conexão com o céu noturno, ao mesmo tempo que mantém as nossas vidas sobrecarregadas. Olhar para o céu e ver as estrelas reorganiza o ego do ser humano, pois torna qualquer pessoa alguém mais amável e reflexível.

O resultado desse experimento é o premiado curta-metragem A Arte da Noite, que mostra a beleza do céu noturno, em um passeio onde podemos admirar a lua, as estrelas, a Via Láctea e as galáxias, incluindo as auroras boreais (que são raras de se registrar).

O vídeo também é um timelapse, e está disponível na resolução 8K, de modo que vale a pena você apreciar o experimento com uma tela em boa resolução e com a luz apagada.

 

 

E o que podemos fazer diante desse cenário?

Quem sabe apagar a luz?

Você ajuda a reduzir o consumo de energia elétrica no mundo (e esse é um dos motivos para que o nosso planeta entre em colapso), economiza alguma grana na conta de luz e, além disso, pode apreciar melhor o céu noturno, apreciando a natureza em seu estado pleno e, com sorte, entregando para si momentos de reflexão.

Projetos como esse servem para mostrar para todos nós que somos relativamente insignificantes diante da grandiosidade do universo. Nos faz pensar qual é o nosso papel, e como podemos nos integrar melhor ao entorno que nos cerca. Começando a conviver melhor com o nosso vizinho até, quem sabe, uma comunicação fraterna com o alienígena que virá nos visitar.

 


Compartilhe