Compartilhe

Talvez os tempos estão mudando. Ou esse é um hábito dos usuários de informática das antigas, mas… responda com sinceridade: como está a sua bancada de trabalho?

A principal desculpa para que qualquer profissional de informática (ou, no meu caso, produtor de conteúdo de tecnologia – uma forma chique para chamar alguém de blogueiro) deixe a sua bancada de trabalho, mesa de trabalho ou área de trabalho em casa ou no escritório completamente bagunçada é uma frase clássica, que podemos imaginar que é mais antiga do que a própria informática em si:

 

“Pode deixar que eu me encontro na minha bagunça”.

 

O que não deixa de ser verdade.

Quem está no meio da bagunça no escritório pode revelar ao mundo sem falar qualquer palavra pelo menos três coisas:

1) Que é uma pessoa hiperativa, com uma atividade cerebral muito elevada;
2) Que você realmente sabe onde estão cada uma das coisas mais importantes para o seu trabalho;
3) Que você é um preguiçoso, folgado e que não quer chegar perto de pensar na organização da sua bancada de trabalho.

De forma bem estranha, gosto de acreditar que eu me encaixo nos três motivos. Se bem que minhas bancadas de trabalho já estavam bem piores, com uma desorganização absurda. Isso aqui ainda está organizado, acredite.

 

 

Vou compartilhar um segredo para vocês: de tempos em tempos, eu pesquiso na internet sobre bancadas de trabalho customizadas e impecavelmente bem feitas, suspiro profundamente ao olhar essas fotos e vídeos, e penso: “um dia eu vou ter alguma alma caridosa que vai organizar a minha bancada de trabalho desse jeito”.

Ou eu tomo coragem disfarçada de vergonha na cara para fazer algo parecido para mim.

Eu acho incrível essas áreas de trabalho bem organizadas, profissionais e esteticamente atraentes. Mas fico feliz em como o meu home office está.

Bom… pelo menos a minha bancada não está do mesmo jeito que a do Linus Torvalds.

 

 

 

Quem sabe os gênios deixam tudo desarrumado mesmo…

 

 

Eu estava produzindo o texto onde o Linus Torvalds informa ao mundo que mudou da Intel para a AMD pela primeira vez em 15 anos (e estava adorando a mudança, pois o novo kernel Linux estava trabalhando muito bem no seu computador com o novo processador de 32 núcleos), e percebi que a sua bancada de trabalho é uma verdadeira zona.

Conseguiu ser pior que a minha, algo que é bem difícil para qualquer ser humano.

Foi então que eu constatei que a minha bancada não está tão caótica assim. A do menino Linus é o retrato pós-Tsunami misturado com terremoto. Mas quero acreditar que todos aqueles três motivos que eu acredito ter para não deixar a minha bancada mais organizada são os mesmos de um dos nomes mais importantes da história da informática, e me sentir melhor e mais confortável com isso.

Por outro lado, as pessoas também precisam entender o que é um trabalho solitário diante do computador por horas, onde dificilmente você recebe outro ser humano. O tempo que você gasta digitando ou programando é muito precioso, e por mais que pareça uma delícia ficar o dia inteiro sentado e trabalhando, você sai da frente do computador no final do dia completamente moído…

…e a última coisa que você quer fazer é colocar alguma coisa em ordem.

 

 

É o meu caso, e imagino que seja o caso de Linus Torvalds também! Bom, eu pelo menos quero acreditar que é isso o que acontece com ele também.

Nesse meio tempo, eu tenho dois quadros para pregar na parede (os dois eu recebi no meu aniversário de 41 anos), mas a falta de coragem me impede. Sem falar nas inúmeras tarefas que tenho que fazer na frente do computador, como as pautas que ainda não desenvolvi para os blogs.

Logo, tente me perdoar por não deixar a minha bancada de trabalho minimamente organizada e limpinha como a de vários produtores de conteúdo que eu conheço. Se o Linus Torvalds não tem tempo para isso, por que eu vou ter?

Tudo bem… ele ajuda a desenvolver o kernel Linux, e eu escrevo para o TargetHD.net. Mas ambos são bem importantes para a humanidade cotidiana, e o tempo dedicado nos dois projetos é mais do que justo.

É necessário.

 

 

P.S.: para gravar os vídeos do canal do TargetHD.net para o YouTube, eu removo toda essa bagunça; caso contrário, trabalhar seria algo inviável.


Compartilhe