Compartilhe

Todos nós estamos vivendo um pesadelo durante a quarentena e o isolamento social. Poucos dizem que sentem felicidade por ficar longe de outras pessoas, e desconfio que essas pessoas são meio perturbadas, por uma série de motivos que não são relevantes mencionar nesse momento nesse post.

O pesadelo de todos os dias está se refletindo nos sonhos de várias pessoas. Eu mesmo estou passando por isso: nas últimas noites, vivenciei sonhos muito vívidos e intensos, a ponto de realmente acreditar que todo aquele cenário é real.

Muita gente está dormindo mal ultimamente, e não é para menos. Se você está custando a pegar no sono durante a quarentena, e sente que os seus sonhos são cada vez mais estranhos ou reais do que o normal, a boa notícia é que você não está sozinho, e isso não está acontecendo apenas com você. É um fenômeno mundial.

O cenário de sonhos mais reais do que vários filmes do Michael Bay (o que não é difícil) pode ser acompanhado mais de perto quando você procura pela hashtag #PandemicDreams nas redes sociais de sua preferência. Os relatos de outros usuários mostram claramente que você não está sozinho nesse processo de sonhos muito bem produzidos durante o isolamento social.

O cenário global da pandemia está mudando nossas vidas e o nosso ritmo de vida. Além da sensação de impotência completa (pois não podemos resolver o problema por conta própria, não temos a liberdade em ir e vir, e não podemos proteger as pessoas que mais amamos) e a crise laboral (onde muitas pessoas estão perdendo o sono ao buscar soluções para ganhar dinheiro para pagar as contas), a quarentena nos domicílios também estão afetando a mente de todo mundo.

 

 

 

A ciência tenta explicar os seus sonhos hollywoodianos

 

A revista Good Housekeeping revela que a maioria das pessoas em Londres (Reino UNido) estão dormindo um pouco mais do que antes, algo que até poderia ser encarado como algo positivo (pois dormir mais pode indicar um relaxamento mental). Porém, não é bem isso o que está acontecendo, pois as circunstâncias para esse sono mais longo são bem estranhas.

De acordo com os dados obtidos pela revista, a maioria das pessoas também estão recordando mais os seus sonhos, justamente por causa da mudança de ritmo que as vidas dessas pessoas passaram. E não é de se estranhar que o mesmo esteja acontecendo no Brasil.

Britney Blair (psicóloga clínica e especialista em medicina condutora do sono em Stanford) afirma que existe um estresse por conta da sequência de eventos que estão acontecendo na sociedade e no ritmo paulatino a que todos estão se submetendo, o que está provocando um tipo diferente de confusão mental.

Além disso, durante o dia, estamos recebendo menos estímulos mentais por conta da menor atividade, já que o cérebro tem menos material para formar os sonhos, optando por outras informações que podem soar estranhas para o nosso consciente. Logo, ao despertar mais vezes durante a noite acabamos lembrando mais dos nossos sonhos.

Ou seja, mesmo que você precise recorrer a um especialista caso esteja sofrendo muito com os seus sonhos, Blair recomenda três bons hábitos para prevenir problemas dos sonhos:

 

1) Ter um horário constante para se deitar e acordar;
2) Limitar a exposição às notícias ou conteúdos que podem ser estressantes;
3) Programar todos os dias uma atividade relaxante antes de se deitar.


Compartilhe