Todo mundo sabe qual é o objetivo final de Elon Musk com tantas iniciativas inovadoras: ser o Tony Stark.

Eu nem culpo o Elon por isso. Eu queria ser o Tony Stark. Ele entra com facilidade na lista de “um dos caras mais legais do mundo”. E, convenhamos: quem não quer isso?

E o Elon está se esforçando e muito para ser igual ao Tony Stark: é bilionário, é playboy, é dono de uma mega corporação (a Tesla), tem investimentos em diversas áreas dentro do mundo da tecnologia, é descolado, tentou salvar o time de futebol que ficou preso no buraco…

Enfim, ele está se esforçando – e muito – para ser o cara mais descolado do planeta. Aliás, o Elon é tão descolado, que fizeram até campanha de crowdfunding para ele comprar um sofá novo para o seu escritório.

Lembrando que ele é um bilionário.

Porém, é preciso dizer que Elon Musk está fracassando na sua tentativa de ser o Tony Stark da vida real.

Primeiro, porque Elon não tem o carisma de Robert Downey Jr que, curiosamente, fez o caminho inverso: foi do desastre ao triunfo e, na sua vida, basicamente, se tornou o Tony Stark. Ou ao menos é a encarnação dele em nosso mundo, e isso rende para a Marvel bilhões de dólares.

Segundo, porque Elon está se especializando em fazer besteiras com a sua vida real. E eu nem estou falando especificamente das drogas. Acho que fumar maconha em um podcast transmitido pelo YouTube é o de menos (ele fez isso na Califórnia, lugar onde o consumo da droga é legalizado), apesar de entender as reações mais conservadoras dos acionistas da Tesla.

Mas tudo indica que o comportamento dele vai além disso. E tal comportamento já se reflete de forma decisiva nos seus negócios. Seria realmente um absurdo sem precedentes se Elon Musk mentisse sobre os valores das ações da Tesla na Bolsa de Valores apenas e tão somente pela associação do número 420 à cultura da marijuana.

Irresponsável, para dizer o mínimo.

Ninguém está cobrando de Musk uma vida de santo em um mosteiro. Só estão cobrando del a responsabilidade de ser o líder máximo de uma empresa que pode ser líder de inovação em diversos segmentos. Porém, com tantas cagadas que ele está fazendo, está cada vez mais difícil acreditar na seriedade dele e, por tabela, na da Tesla.

Na verdade, eu não duvido da seriedade da Tesla. Só começo a duvidar do futuro dela.

Logo, vamos ver se Elon Musk consegue fazer o mesmo que Tony Stark. Quando o bilionário-playboy-gênio-filantropo foi para o fundo do poço, bebendo até ficar que nem um bêbado como um gambá, ele teve um lampejo de sobriedade e voltou a focar seu tempo e esforços no que melhor sabia fazer: desenvolver soluções tecnológicas inovadoras.

Quem sabe acontece o mesmo com o Musk.

Ou ele sai da Tesla de vez, como muito vem sendo especulado. E acho mais provável essa segunda opção.