Meu voo de volta do evento de lançamento dos novos smartphones premium da LG aconteceu pela Gol. E ocorreu em um momento peculiar nos aeroportos de São Paulo. No dia anterior, a LATAM cancelou mais de 30 voos por conta das más condições climáticas nos aeroportos de São Paulo e Rio de Janeiro, e pelo menos em Congonhas, aeroporto que embarquei de volta para Florianópolis, o cenário era de caos.

Isso gerou um efeito imediato e positivo para mim. Meus dois voos ao menos saíram do solo e chegaram ao seu destino. É fato que os problemas meteorológicos realmente existiam. Em Florianópolis, havia uma neblina densa atrapalhando, e em São Paulo o tempo não era dos melhores quando eu saí, apesar do calor de 27 graus que fazia por lá.

Mesmo assim. O que a LATAM fez foi, no mínimo, questionável.

Cancelar os voos e deixar os clientes sem solução, sem auxílio, sem ajuda. Acho que o cancelamento dos voos já é uma dor de cabeça complicada de se contornar. Fica pior quando todos ficam a deriva pelas mãos da companhia aérea.

Faz algum tempo que entendo que o serviço da LATAM piorou demais nessa nova fase da empresa. Passagens mais caras, cobrança abusiva de despacho de bagagem e serviço de bordo que piorou ao ponto de só oferecer para os passageiros como cortesia um copo d’água. Todos os demais itens do serviço de bordo dos voos da LATAM são cobrados.

Pois é, meus amigos… eu juro que não estou sendo pago pela Gol para fazer a propaganda deles. Mas a verdade é uma só: a Gol está dando uma verdadeira surra na LATAM, tanto no serviço como no atendimento.

Para começar, todo o serviço de bordo é feito com o máximo de cuidado e atenção. Funcionários gentis e respeitosos, e um time de solo sempre disposto a ajudar. Depois, o contraste que fez com que minha vida se tornasse menos cansativa: meus voos saíram, mesmo com a meteorologia não ajudando. O voo da volta, que saiu de Congonhas, ainda atrasou 30 minutos, mas muito mais por conta da sobrecarga de voos acumulados, que atrasaram ou que mudaram de data. Logo, não é culpa da Gol nessa história.

Agora, o que realmente me interessou como geek, blogueiro de tecnologia e viciado em esportes (e o motivo principal pelo qual esse post existe) é o serviço Gol Online, que eu utilizei pela primeira vez.

 

 

Já era sabido que a Gol estava liberando o serviço de internet WiFi durante os seus voos comerciais, mas só dessa vez eu tive a chance de efetivamente experimentar como tudo funcionava, e a qualidade do mesmo. E… posso dizer: vale a pena.

Levando em conta que você está no ar e essa é a sua única alternativa para se manter conectado, a relação custo-benefício pode se pagar. Para a parte de conexão à internet, existem diferentes alternativas, que vão de R$ 8 para trocas de mensagens até R$ 25, para navegação livre e em alta velocidade. Se você quer uma navegação mais básica para seguir trabalhando de forma mais urgente, os R$ 15 cobrados podem ser bem vindos para te manter produtivo durante o voo.

 

 

Em voos mais longos (por exemplo, de São Paulo para Manaus, cuja viagem leva três horas), essa internet de R$ 15 tem uma boa relação custo-benefício. Eu mesmo certamente iria pagar para me manter conectado e produtivo.

Porém, o Gol Online oferece também uma conexão exclusiva para entretenimento. Conteúdos em vídeo em parceria com a Rede Globo e os canais Globosat estão disponíveis para o passageiro, tanto no formato Video On-Demand como no modo TV ao vivo por streaming. E foi dessa forma que eu consegui assistir à Rede Globo, Globo News e outros canais.

Ah, o custo de consumo de conteúdo de entretenimento no Gol Online é de R$ 0. Isso mesmo. DE GRAÇA!

E tudo funcionou muito bem. Levando em consideração que é um voo doméstico, o serviço me entregou uma qualidade bem aceitável. Poucos engasgos e transmissão contínua.

 

 

Resultado: já instalei o aplicativo da Gol no meu smartphone, e em todas as viagens que eu fizer eu sempre vou tentar dar prioridade para essa companhia. Ou tentar evitar a LATAM a todo custo.

Sério, fica difícil competir assim. A LATAM precisa entender e rápido que não pode simplesmente tratar os seus clientes como gado, sem dignidade e sem valorizar quem está investindo na empresa. Não é difícil de imaginar que outras companhias aéreas conseguem sem maiores problemas oferecer um serviço melhor, e o principal efeito colateral de tudo isso são os voos da LATAM cada vez mais vazios.

As filas que vi em Congonhas eram de clientes perdidos e revoltados. E acho lamentável que uma empresa que lucra horrores assuma para si essa postura comercial.

Abre o olho, LATAM! Se eu puder, vou evitar você!