Ir ao conteúdo

Jumanji: Bem-vindo à Selva (2018) | Cinema em Review

Compartilhe

Jumanji

Bem-vindo à selva!

Jumanji: Bem-vindo à Selva é um dos filmes que facilmente atrai audiência para os cinemas. Não apenas porque é um remake de um filme muito amado pelas pessoas, mas também por todo o seu entorno. É uma produção com nomes famosos, está no tema dos filmes de aventura combinado com comédia, e estreou em uma janela do ano onde as pessoas naturalmente vão aos cinemas, pelo tempo livre a mais que contam (final de ano nos EUA, começo de ano no Brasil).

A premissa básica é bem simples. Deixamos de lado o tabuleiro de xadrez e passamos para um jogo de videogame do passado. Essa mudança ajuda a estabelecer a ponte para que a história faça a sua conexão com o presente, com uma proposta de aventura mais visceral, e com seus personagens devidamente adaptados aos seus protagonistas adultos, no que se refere ao biotipo e à personalidade de cada um deles.

Tenha em mente que você não verá em Jumanji: Bem-vindo à Selva o melhor filme de 2018. Acho que nem mesmo o melhor filme da temporada de verão aqui no Brasil. O seu roteiro é bem linear, sem grandes complexidades de compreensão. Sem falar que possui uma barrigada enorme no seu argumento (acredito que qualquer pessoa mais observadora vai se atentar para esse detalhe, mas eu não quero dar spoilers sobre o filme), que deixa de ter coerência em linhas gerais.

Por outro lado, o objetivo aqui claramente não visa ter coerência alguma. Mesmo porque é um filme que sabe rir de si mesmo e dos esteriótipos que ele mesmo apresenta. Várias piadas envolvendo o contraste dos personagens, sobre o comportamento de alguns deles diante de situações peculiares, além do humor físico que se faz presente naturalmente.

Nesse aspecto, Jumanji: Bem-vindo à Selva é um filme competente. As piadas funcionam porque a situação sugere o bom humor. Talvez o roteiro aqui pecou mais uma vez ao gastar boa parte das piadas para a primeira parte do filme, deixando a segunda metade com apenas um grande momento.

Mesmo com essa dificuldade imposta pelo próprio roteiro, é um filme que funciona. Dwayne Johnson, Kevin Hart, Jack Black e Karen Gillan emprestam suas respectivas carismas para complementar as personalidades dos seus personagens, mostrando uma química que agrada em cena.

É claro que temos uma sequência

Do mais, Jumanji: Bem-vindo à Selva é aquele filme que quer lembrar o quão importante é ser quem somos, e o tamanho do poder que é decidir o que queremos ser. Normalmente quando nos vemos diferente de quem realmente somos, e precisamos nos acostumar aos novos cenários oferecidos na vida, nos obrigamos a nos superar para ultrapassar os nossos desafios.

No caso dos jovens do filme, quando eles se viram obrigados a assumir os personagens do jogo, eles entenderam o que é estar no lugar do outro, e sofrer todos os estereótipos e limitações que essa nova realidade oferece. E, naturalmente, aprendem as suas respectivas lições. Algo meio óbvio e previsível em um filme como esse, mas que acaba sendo a história que eles decidiram contar. E conta bem essa história.

Jumanji: Bem-vindo à Selva é, basicamente, o filme “Sessão da Tarde” que você verá nos cinemas no começo de 2018. Nesse caso em específico, vá ao cinema para dar risadas e nada mais. Deixe o potenciômetro do crível para outro tipo de filme.

Esse é o típico filme para você se divertir e esquecer um pouco que os problemas existem.


Compartilhe
Publicado emResenhas e Reviews