Não é a primeira vez que alguém na Apple vai queimar a língua. E torço para que não seja a última, sinceramente.

A Apple anunciou o Apple Card, o seu cartão de crédito que devolve parte do dinheiro gasto nas compras para o cliente. Essa é mais uma das iniciativas da gigante de Cupertino na tentativa de deixar de ser uma empresa dependente das vendas do iPhone para apostar na oferta de produtos e serviços, que é algo comprovadamente mais lucrativo a longo prazo.

Muita gente falou sobre a iniciativa em lançar um cartão de crédito inteligente, cujos dados ficam armazenados de forma segura e dedicada no iPhone, sem falar que em algumas situações nem é necessário ter o cartão com você para realizar pagamentos.

Mas tem um pequeno detalhe quem tem todos se lembram: até onde a gente sabia, a Apple simplesmente odiava o cartão de crédito como forma de pagamento.

No longínquo ano de 2014, quando a Apple apresentou ao mundo o seu novo sistema de pagamentos Apple Pay, o mesmo Tim Cook dedicou boa parte da sua apresentação para fazer bullying com os cartões de crédito, afirmando claramente que eram obsoletos e problemáticos para realizar pagamentos, reforçando que as pessoas sonharam por anos com a possibilidade de substituir os velhos cartões de crédito por algo mais inteligente.

Cook chegou a exibir um vídeo no evento, onde em tom de comédia tirava sarro sobre o uso dos cartões de crédito.

 

 

O mundo dá voltas

 

A grande ironia da vida é ver o mesmo executivo dedicando boa parte do tempo de sua última apresentação para apresentar o cartão de crédito da Apple, que é fruto de uma parceria da gigante de Cupertino com a MasterCard e a Goldman Sachs, com gravação do nome em titânio. E Tim Cook demonstrou estar muito apaixonado por esse produto.

Por causa do efeito contraditório, o vídeo do keynote de 2014 voltou a viralizar com força, mostrando a mudança de opinião no discurso da Apple. Algo normal quando você faz de tudo para vender alguma coisa.

Mudar de opinião não é o problema, e até acho que o Apple Card é mesmo mais inteligente que um cartão de crédito tradicional. Mas também não é a reinvenção da roda. Cinco anos depois das gracinhas de Tim Cook, vários serviços de pagamentos online criaram soluções similares e igualmente tão eficientes. O AME do grupo B2W está aí para reforçar o que estou falando.

Mas é interessante ver a roda do mundo girar. Muito interessante…