Compartilhe

Iguais, porém, diferentes.

A Motorola decidiu dar mais trabalho para mim do que eu mesmo imaginava. Vários posts publicados hoje (7) no TargetHD.net foram sobre a empresa, desde a fragilidade do Motorola Razr (algo que a empresa já saiu correndo para se defender, dizendo que a máquina da CNET não foi feito para esse tipo de testes) até o lançamento dos novos smartphones de linha média da empresa, o Moto G Stylus e o Moto G Power.

Em essência, é o mesmo smartphone de linha média, carregando o mesmo processador Snapdragon 665, o mesmo design (que lembra muito o que já vimos na linha Moto One e, ao que tudo indica, está funcionando muito bem), e poucas variações nas câmeras (três ou quatro sensores, dependendo do modelo).

Logo, temos três grandes diferenças entre os dois modelos, e eu vou falar sobre elas de forma breve nesse post.

 

 

As principais diferenças entre Moto G Stylus e Moto G Power

 

Os nomes dos dois dispositivos já dão a deixa sobre onde eles se diferenciam de forma mais específica. Talvez eu não precisava explicar essas diferenças evidentes pelo nome, mas a audiência desse blog é rotativa, e nem todo mundo que acaba lendo os posts aqui são especialistas em tecnologia.

 

O Moto G Stylus tem a caneta Stylus que ajuda na produtividade com o dispositivo, principalmente para fazer anotações na tela do telefone. O modelo quer aproveitar o grupo de usuários que sempre quiseram ter um Samsung Galaxy Note no bolso, mas jamais cogitou vender um rim no mercado negro por ele. Além disso, possui um sensor fotográfico com maior capacidade final de fotos com alta qualidade.

 

O Moto G Power perde a Stylus, mas em compensação recebe uma bateria com capacidade de 5.000 mAh que, por causa do software bem limpo e otimizado que a Motorola coloca nos seus dispositivos, promete uma autonomia de uso de até três dias, ou 27 horas de vídeo, ou até 150 horas de música. Sua qualidade fotográfica do sensor principal não é tão boa quanto a do primeiro modelo, mas em compensação esse modelo possui a câmera de ação que, ao que tudo indica, deu muito certo no Moto One Action.

 

 

Produtos segmentados e bem posicionados

 

Parece que a Motorola está entendendo bem qual é o público com o qual deseja se comunicar com o Moto G Stylus e o Moto G Power. Mesmo sendo muito similares no seu design, eles são diferentes nas suas propostas.

O Moto G Stylus é pensado nos produtivos e naqueles que fazem questão de obter melhores resultados nas fotos registradas no smartphone. Tudo bem que o tamanho do sensor não quer dizer que o modelo será excelente nos registros fotográficos, mas ao menos na teoria é isso o que ele propõe fazer.

Já o Moto G Power tem como consumidor alvo os usuários que querem ficar o máximo de tempo possível longe da tomada com o seu smartphone. Também busca conquistar aqueles que já se acostumaram a gravar vídeos na vertical, com uma câmera de ação para todas as situações.

Particularmente, me agrada mais o Moto G Power como segundo smartphone, justamente por causa de sua bateria de longa duração e câmera de ação. Não considero o Moto G Stylus um concorrente direto dos modelos da família Samsung Galaxy Note, pois são categorias de produtos muito diferentes. Mas é uma alternativa bem mais barata. Talvez valha a pena para quem decidir encarar o modelo da Moto por ser mais barato (e o preço for o principal critério de escolha).

Antes de testar os modelos, não dá para afirmar nada. Mas são propostas bem interessantes dentro do segmento de linha média. Espero que ambos desembarquem no Brasil com um preço pelo menos interessante.


Compartilhe