O avião que tem autonomia de voo de 90 dias com enormes paineis solares nas asas | @oEduardoMoreira Press "Enter" to skip to content
Início » Tecnologia » O avião que tem autonomia de voo de 90 dias com enormes paineis solares nas asas

O avião que tem autonomia de voo de 90 dias com enormes paineis solares nas asas

Compartilhe

A Marinha dos Estados Unidos quer obter voos mais prolongados com o Skydweller, um peculiar avião que pode voar por até 90 dias de forma ininterrupta, apenas utilizando a energia solar.

A aviação parece ser o próximo grande desafio dos veículos elétricos. As empresas estão buscando tecnologias mais sustentáveis e que podem oferecer vantagens reais em relação aos combustíveis e motores tradicionais.

Vamos então entender por que o mundo precisa de um avião que pode voar por 1/4 do ano sem parar.

 

 

 

72 metros de envergadura para abrigar painéis solares

 

 

Qual é a utilidade de um avião de 90 dias de autonomia?

Muito provavelmente para operações de inteligência, vigilância e reconhecimento militar, assim como para vigilância ambiental ou cartografia geoespacial.

O Skydweller pode permanecer no ar entre 30 e 90 dias, dependendo da latitude geográfica em que se encontra, e em consequência das horas de sol disponíveis no local.

Para isso, o avião conta com painéis solares sobre suas asas, que chegam a ter até 72 metros de comprimento. Uma envergadura enorme para um avião relativamente pequeno, mas algo necessário para gerar tanta energia.

Este avião pode alcançar até 14 km de altitude com uma velocidade de cruzeiro de até 100kt. Seu peso é de 2.500 kg, e o avião pode levar até 400 kg de peso.

O avião ainda não tem nome de usuário, mas seu protótipo realizou o primeiro teste em dezembro de 2020. Desde então, outros voos de testes aconteceram de forma autônoma.

 

 

 

Isso vai funcionar?

É importante lembrar que não faz muito tempo que o Facebook colocou em testes um drone que também funcionava com energia solar para diferentes finalidades. Ou seja, estamos vendo nessa proposta militar uma continuidade do conceito.

A ideia pode dar certo sim, e se esse avião vingar ou virar uma realidade, está materializado um dos maiores desafios de engenharia aeronáutica. Afinal de contas, asas com envergadura de 72 metros precisando sustentar no ar um peso considerável não é algo tão fácil assim.

Se bem que gostaria muito de ver um avião com energia solar trabalhando de forma comercial. Não só pelo aspecto de sustentabilidade, mas também pela tecnologia embarcada.

 


Compartilhe
@oEduardoMoreira