O crescimento do Windows 11 está congelado, para a surpresa de zero pessoas | @oEduardoMoreira Press "Enter" to skip to content
Início » Notícias » O crescimento do Windows 11 está congelado, para a surpresa de zero pessoas

O crescimento do Windows 11 está congelado, para a surpresa de zero pessoas

Compartilhe

Instalei o Windows 11 no meu ultrabook Samsung Galaxy Book S e, pelo menos quando eu escrevi esse post, está tudo bem. Aliás, posso dizer que está tudo um pouco melhor, pois o desempenho do portátil melhorou um pouco.

Porém, eu sei que isso não está acontecendo com todos os usuários do sistema operacional, que se revela problemático em alguns computadores. E, por causa disso, não me causa estranheza a notícia do estancamento do crescimento do Windows 11.

A Microsoft já deveria ter entendido que não basta entregar algo de graça para as pessoas. Essa gratuidade precisa ser oferecida acompanhada da qualidade.

 

 

 

O que está acontecendo?

O principal problema no crescimento do Windows 11 está justamente em um público que usa o computador a sério o suficiente para ficar com grandes receios sobre a confiabilidade do novo software: o setor profissional.

O crescimento do Windows 11 se tornou residual nos últimos meses. O sistema operacional tem hoje uma cota de mercado de 19,7%, mas em março cresceu apenas 0,1%, e ganhou em abril só 0,3%.

Salvo engano, o ganho de audiência do Windows 11 consegue ser pior que o da Rede TV!, e isso é um problema muito mais sério do que parece.

E eu não estou brincando: os 19,7% de participação de mercado do Windows 11 só é alcançado se o estudo considerar apenas e tão somente a existência do Windows 10 e Windows 11 no mundo. Somando todas as demais versões do sistema operacional da Microsoft, o pobre coitado tem apenas 8,45% do mercado, ficando atrás do Windows 10 e do Windows 7.

Nem preciso fazer uma comparação da Microsoft com a Apple neste caso, pois isso seria algo deselegante e grosseiro. Mas é importante lembrar que a gigante de Cupertino não só consegue entregar gratuitamente a atualização do seu sistema operacional para todos os equipamentos compatíveis no mesmo dia e ao mesmo tempo, como sempre tem uma forte adoção dos usuários em busca do novo software.

E é sempre importante lembrar que, neste caso, a Microsoft está em uma enrascada que ela mesma tramou. Pense na loucura que é desenvolver um software que precisa funcionar perfeitamente nas mais diferentes configurações de hardware presentes em milhões de computadores ao redor do mundo.

Parando para pensar, essa tarefa está bem longe de ser considerada fácil.

 

 

 

Por que o Windows 11 não decola de vez?

Os motivos são conhecidos por todos, menos é claro pelos executivos da Microsoft, que só pensam nos lucros.

A saber: os requisitos técnicos restritos que deixam de fora da atualização milhões de computadores que hoje funcionam muito bem (e que funcionariam ainda melhor com o Windows 11), as poucas mudanças em relação ao Windows 10, versão do sistema operacional que alcançou o seu ponto de maturidade e se tornou muito confiável, e os problemas que se tornaram comuns para os usuários da nova versão.

Ou seja, é um pouco de tudo. Mas esses três motivos mencionados no parágrafo anterior são os mais relevantes, a meu ver.

Se bem que nada substitui a dor de ver o seu computador de 2017 ou 2018 sem ter o direito de receber o Windows 11 porque a Microsoft quis assim (para vender mais computadores).

De qualquer forma, o suporte para o Windows 11 vai acontecer até 2025, e muito provavelmente, só nesse ano os usuários vão efetivamente migrar para a nova versão do sistema operacional.

Ou não. Quem sabe o Windows 10 não é o novo Windows XP por causa da teimosia da Microsoft com o Windows 11… isso pode muito bem acontecer.


Compartilhe
@oEduardoMoreira