Ir ao conteúdo

Os 30 anos de Street Fighter II

Compartilhe

Este foi um dos jogos de videogame que transformou um grande grupo de adolescentes aborrecidos com a completa falta do que fazer em gamers viciados e obstinados em terminar um dos jogos mais populares de todos os tempos. Street Fighter II, o lendário jogo da Capcom, completou 30 anos de vida. E continua intocável na história dos videogames.

A sua chegada ao mundo em 1991 marcou um antes e um depois nos jogos de luta, onde praticamente inventou o gênero que foi reproduzido ou copiado em uma série de outros jogos. Tudo bem, já existia um Street Fighter no mundo, e esse é um jogo quase esquecido pelas novas gerações.

Porém, o salto para o segundo jogo é tão absurdo, que o esquecimento dos mais jovens é quase perdoado.

 

 

 

Reinventou a roda com uma nova proposta para os jogos de luta

 

 

Sendo bem justo: boa base dos conceitos básicos de Street Fighter II foram muito bem apresentados em Street Figher, que já contava com golpes especiais a partir de uma combinação de movimentos com golpes, algo inédito e/ou quase inexplorados pelos jogos de luta da época.

Porém, o primeiro jogo entregava resultados rudimentares para esses comandos, com um funcionamento muito mecânico e duro, o que deixava o recurso pouco prático e intuitivo para os jogadores.

Felizmente, a Capcom não desistiu dessa proposta, e decidiu melhorá-la em Street Fighter II, com resultados muito melhores e mais integrados com aquilo que os gamers procuravam em um jogo desse tipo. E isso resultou em um jogo divertido e envolvente, onde uma geração de viciados em hadouken (e eu faço parte dessa geração) invadiu as casas de filperama e máquinas de gamers do início da década de 1990.

Além disso, a Capcom fez um trabalho excepcional ao melhorar os gráficos de Street Fighter II, o que ajudou a deixar o game ainda mais envolvente. Seu enredo se tornou mais dinâmico, já que era possível jogar com outros seis lutadores além de Ryu e Ken, acompanhando suas trajetórias e entregando finais alternativos.

 

 

Esses e outros elementos combinados resultaram em um dos melhores jogos de videogame de todos os tempos, e daquele que é considerado por muitos o melhor jogo de luta da história.

Tá, ele pode não ser o seu jogo preferido de todos os tempos. Mas não dá para negar que Street Fighter II se tornou um divisor de águas na história dos videogames.

 

 

 

O legado?

 

 

É gigantesco.

Sem Street Fighter II, franquias de enorme sucesso como Art of Fighting, The King of Fighters, Mortal Kombat, Killer Instinct, Fatal Fury e várias outras jamais teriam existido, e esse segmento de games de luta não teriam a mesma aceitação que recebem hoje dos gamers.

O jogo de luta da Capcom é sinônimo de entretenimento simples e direto no mundo dos games, representando uma excelente válvula de escape para alguns mais nervosinhos. Como as leis impedem de sair dando porrada nas pessoas, fazemos isso nos videogames e nos acalmamos depois de algumas horas de jogatina.

Que Street Fighter II possa comemorar mais 30 anos de vida, e que a Capcom siga impulsionado jogos como esse para as próximas gerações.

Vida longa para Ryu, Ken e companhia. E feliz 30 anos de sucesso para Street Fighter II.


Compartilhe
Publicado emGames