Por que o Air Jordan foi banido da NBA? Press "Enter" to skip to content
Início » Esportes » Por que o Air Jordan foi banido da NBA?

Por que o Air Jordan foi banido da NBA?

Compartilhe

Um pouco de história da NBA para o amigo leitor.

O Nike Air Jordan 1 é um tênis icônico e, ao mesmo tempo, problemático. Marcou a chegada de Michael Jordan na NBA, mas a liga não viu aquele calçado com bons olhos, e decidiu banir o item da NBA.

Por que isso aconteceu?

 

 

 

A história do banimento do Air Jordan da NBA

 

 

Até o próprio Michael Jordan recebeu a multa de US$ 5 mil por utilizar o tênis dentro das praças esportivas da NBA, e ler isso em 2021 soa como algo bizarro. Porém, em 1984, Jordan era apenas uma grande promessa, e não o maior jogador de basquete de todos os tempos. E isso pode ter pesado na decisão da liga.

Em 1984, o regulamento da NBA vigente na época estabelecia que o calçado esportivo utilizado por um atleta “não apenas deve coincidir com os seus uniformes, mas também com os calçados utilizados pelos seus companheiros de equipe”.

 

 

É claro que essa regra não existe em 2021, mas na época era conhecida como “a regra dos 51%”, ou seja, 51% do tênis a ser utilizado na partida deveria ser branco, e os 49% restantes deveriam estar de acordo com o que os demais membros da equipe estão utilizando.

E os emblemáticos Air Jordan 1 utilizados por Michael Jordan eram nas cores preto e vermelho. Tudo bem que um dos uniformes do Chicago Bulls é em preto e vermelho, mas… e quando o time joga de branco? E os demais jogadores do time, utilizando tênis na cor branca?

A Nike solucionou o problema de forma bem simples: pagou as multas para que Jordan continuasse a jogar com esse tênis, por entender que esta era uma manobra comercial muito acertada. Afinal de contas, ele arrebentou na primeira temporada na NBA, levou a torcida de Chicago ao delírio e, em consequência, as vendas do tênis simplesmente dispararam.

A NBA ficou puta com isso.

 

 

Em 25 de fevereiro de 1985, a Nike recebeu um memorando da NBA, que afirmava basicamente que “as regras não devem ser violadas”. E o documento só fez que a fabricante de calçados e Michael Jordan fortalecesse a parceria, desenvolvendo uma campanha publicitária com o jovem atleta usando o tênis da discórdia, com o mote do “o proibido sempre é mais atraente”.

 

 

A absurda regra dos 51% perdurou na NBA até o final da década de 1990. Hoje, Michael Jordan tem um contrato vitalício com a Nike Inc., onde ganha nada menos que US$ 2.3 bilhões por ano.

Para muita gente, toda essa história é uma lenda da NBA. Porém, existem registros de Jordan utilizando esse tênis. Por exemplo, o concurso de enterradas do All-Star Game de 1985. E tudo isso fez com que o Air Jordan 1 se tornasse o “santo graal” dos fãs de basquete ao redor do mundo.

 

 

 

Via Yahoo! Sports, The Sole Suplier


Compartilhe