Ir ao conteúdo
www.LojaPecasAuto.pt

Saída do WhatsApp em massa: é isso mesmo?

Compartilhe

Contra fatos, não há argumentos. Já contra os números, existem vários. Números são frios, e podem não contar toda a verdade. E se você ficou impressionado com os mais de 500 milhões de usuários que o Telegram recebeu depois das mudanças de política de uso do WhatsApp, é melhor rever os seus conceitos.

É claro que muita gente migrou de um lugar para outro com o medo enorme que Mark Zuckerberg descubra a traição conjugal ou os nudes enviados naquela madrugada de bebedeira. Porém, os números revelados até agora podem representar pouco perto da potência que o WhatsApp ainda é e, pelo menos a médio prazo, vai continuar a ser.

 

 

 

É muita gente sim, mas não é esse Maracanã todo que a imprensa vende

 

Tão importante quanto o número de pessoas que decidiram abrir uma conta no Telegram depois das mudanças recentes no WhatsApp é saber qual foi o número de pessoas que realmente fecharam a sua conta no aplicativo líder de mensagens instantâneas. E esse número nós ainda não sabemos.

E é fato consolidado que, a grande maioria dos usuários de internet não estão dando a mínima para essas mudanças. Assim como não dão a mínima para o fato da sua privacidade estar em risco, ou que os seus dados serão vendidos para empresas de publicidade que vão exibir propagandas sobre produtos que não queremos (ou que não podemos comprar, porque são muito caros).

O WhatsApp tem mais de 2 bilhões de usuários ativos mensais, o que representa aproximadamente 25% de toda a população do planeta utilizando a mesma plataforma. Nos dias de hoje, todo mundo quer ficar conectado com as outras pessoas, pelos mais diferentes motivos e finalidades.

E se existe uma garantia que você vai entrar em contato com alguém nesse mundo, essa garantia responde pelo nome WhatsApp. Goste você disso ou não.

Logo, é realmente muito difícil imaginar que o WhatsApp vai simplesmente desaparecer em um curto espaço de tempo. Obviamente, quando olhamos para a história da tecnologia, testemunhamos gigantes da comunicação de massa online desaparecendo diante dos nossos olhos (ICQ, Microsoft Messenger, Orkut…. saudades de todos eles). Porém, o mundo online hoje é mais dinâmico, e a dominância das plataformas de Mark Zuckerberg é quase absoluta.

E o que impede que esse povo todo use as duas plataformas ao mesmo tempo? Eu e muita gente que eu conheço faz isso. Uma não invalida a outra, e é preciso ter isso em mente nesse momento.

 

 

 

Não vão abandonar o WhatsApp de forma tão fácil

 

Toda e qualquer concorrência é mais que bem vinda, em qualquer setor.

O WhatsApp agora tem uma concorrência que ele não tinha em 2011 (por exemplo). Telegram e Signal se aproveitaram do momento e efetivamente entraram para a briga, onde o aplicativo russo capitalizou bem em cima das mudanças das regras de jogo da plataforma do menino Zuck.

Agora, resta saber como o Facebook vai reagir diante dessa investida. Zuck sabe que desagradou a algumas pessoas (muitas, na verdade) com a mudança das regras de jogo. Mas… algo me diz que ele simplesmente vai seguir em frente, sem olhar para trás.

Não imagino o WhatsApp afundando de vez nesse primeiro momento. No máximo, posso afirmar que a empresa sentiu o golpe. Quero observar mais um pouco o movimento dos usuários e do próprio Facebook. Mas… sinceramente? Eu duvido que empresas e usuários vão migrar de plataforma em massa nesse momento.

 

 

Via Business Insider


Compartilhe
Publicado emInternetSoftware