Eu acredito que todos nós concordamos que o Samsung Galaxy S10+ é um smartphone simplesmente fantástico. Um autêntico top de linha de toda regra. Porém, ele é um dispositivo que é bem caro, mesmo na sua versão base (8 GB RAM + 128 GB), custando acima de 1.000 euros lá fora.

Pois bem, a Samsung, não satisfeita com isso, lançou uma versão com 12 GB de RAM desse dispositivo, onde é preciso pagar pelo menos 60% a mais do valor do modelo base para receber a versão mais completa do telefone. E aqui, você pode não fazer questão nenhuma do acabamento em cerâmica, ou não precisar de 1 TB de armazenamento. Mas para ter 12 GB de RAM, vai ter que pagar o preço.

Mais uma vez, acho que vamos concordar com o fato que 8 GB de RAM e 128 GB de armazenamento são mais que suficientes para a esmagadora maioria dos usuários. E sobre o acabamento de cerâmica, até que ponto ele pode oferecer beleza quando muito provavelmente o dispositivo vai ficar protegido por um case que é bem mais resistente a quedas?

Mas a principal questão desse post é: até que ponto o dinheiro pago a mais nesse smartphone são justificados pelas melhorias de RAM, armazenamento e acabamento?

A diferença de valor é suficiente para comprar a versão mais cara do Xiaomi Mi 9 (449 euros na sua versão de entrada). Por mais RAM e armazenamento, basta desembolsar mais 50 euros. Ou seja, um preço muito mais competitivo do que a opção mais barata do Galaxy S10+, mesmo contando com uma quantidade de RAM e armazenamento menor (6 GB + 64 GB, contra 8 GB + 128 GB).

No final das contas, o que realmente importa é se o usuário está satisfeito com o seu dispositivo. É claro que se você deseja mais especificações no seu smartphone, você terá que pagar com isso. Mas… até que ponto uma melhoria dessas justifica você pagar 60% a mais no valor de um smartphone?

É fácil criticar uma marca com essa discrepância de preço entre as variantes dos seus produtos, mas também é bem fácil para o consumidor não pagar os preços solicitados. Paga quem quer (ou melhor, quem pode). Não quer (ou não pode pagar), não paga (e reclama menos). Simples assim.

Eu não pagaria 1.600 euros por um smartphone. Mas a Samsung só está cobrando esse valor porque alguém está procurando pelo produto e, principalmente, está disposto a pagar o preço por ele.