‘Só Surubinha de Leve’ é a ‘poesia pura’ que será esquecida rapidamente | @oEduardoMoreira Press "Enter" to skip to content
Início » Especial » ‘Só Surubinha de Leve’ é a ‘poesia pura’ que será esquecida rapidamente

‘Só Surubinha de Leve’ é a ‘poesia pura’ que será esquecida rapidamente

Compartilhe

só surubinha de leve

O assunto do dia é a “música” (se é que dá para chamar isso de música, mas falo disso daqui a pouco) do MC Diguinho, “Só Surubinha de Leve”. Aliás, se tornou mais assunto ainda quando a versão light da letra foi liberada, mostrando que a emenda foi pior que o soneto. Ou que o rapaz não quis mudar muita coisa na letra.

Então… como criticar sem ofender algumas pessoas?

Eu fui um daqueles que elogiou Anitta nesse blog. Porém, é um caso diferente. Anitta tem o direito de se considerar malandra e, ao fazer isso, não coloca todas as mulheres no mesmo grupo. Já MC Diguinho mostra, a partir do seu ponto de vista, como todas as mulheres devem ser tratadas.

Antes de mais nada, eu não gosto de funk. Mesmo. Para mim, a grande maioria dos funks são um lixo musicalmente falando. Salvo algumas exceções. Até entendo que esse tipo de música vale a pena nas baladas, nas festas e naqueles momentos casuais. Mas não é algo que está nas minhas playlists.

Por outro lado, não sou eu que vou dizer aqui que você não deve ouvir funk. Aliás, você deve ouvir o que você quiser. Minha opinião aqui não vai mudar muito a vida de quem já curte esse estilo de som.

O mais importante dessa história toda envolvendo a “Só Surubinha de Leve” está no contexto final da “música” (de novo, isso é um lixo sonoro detestável, e posso falar isso pelo tempo que me envolvo profissionalmente com música). Entendo que MC Diguinho conseguiu o que queria: chamou a atenção de todo mundo. A partir daí, cabe a cada um trazer para a sua realidade esse tipo de música.

Eu, por exemplo, não consigo levar esse estilo de vida ou comportamento para a minha vida. Para mim, mulher vai muito além de um pedaço de carne que deve ser regada à bebida e p*c*. E tem muitos homens que não conseguem entender ou enxergar isso. Assim como tem muitas mulheres que gostam de se sentir malandra, pelos mais diversos motivos.

Não acho que vai ser uma música que vai influenciar na postura de um adulto. De uma criança, quem sabe e, ainda assim, é responsabilidade dos pais em orientar sobre o comportamento dos menores em função do que assistem na TV ou escutam no YouTube ou Spotify. É obrigação dos pais observar, orientar e esclarecer em todos os aspectos.

Agora, se você é adulto e sentiu revolta com o que o MC Diguinho declarou em “Só Surubinha de Leve”… Eu pergunto: por que?

Você vai para uma suruba depois de ouvir a música? Vai sair pegando geral? Vai se submeter a ser pega por um homem que te trata assim?

Acho que o mais eficiente nesse caso é simplesmente deixar para lá. Afinal de contas, se a música não te afeta de forma alguma, deixe que aqueles que “acreditam nessa filosofia de vida” vivam o seu mundinho de ilusões sexistas.

Em certos momentos, só deixar a caravana passar é a melhor coisa. Tudo leva a crer que ele é o Biel de janeiro de 2018. Mais algumas semanas, e esse cara cai no esquecimento.

E a vida vai seguir normalmente.


Compartilhe
@oEduardoMoreira