whatsapp-teaser

Eu… ainda não.

Quase 24 horas depois do bloqueio do WhatsApp no Brasil (previsto para 72 horas), já vi algumas pessoas dizendo que “ontem foi o pior dia da minha vida”. Bom, não os culpo, mas também não dá para apoiar essa afirmação na íntegra. É claro que esse tipo de proibição, que pune um monte de gente que não tem nada a ver com o tráfico de drogas, é algo bem chato. Mas… existe vida fora do WhatsApp. E muita.

A produtividade no trabalho é o primeiro efeito imediato do mundo sem WhatsApp. Sem ter o smartphone apitando toda hora, você consegue se concentrar melhor nas suas atividades, a ponto de terminar o seu serviço mais cedo. Isso é algo que não me acontecia a algum tempo. Não que eu fique muito tempo preso ao serviço: os grupos que participo ficam todos silenciosos, e só vejo as mensagens dos grupos quando entendo ser necessário.

Mesmo assim… sem ter uma distração te interrompendo o tempo todo, ou tirando sua concentração, faz uma grande diferença. Nesse aspecto, estou satisfeito com o fato do WhatsApp ficar lá, quietinho, sem realizar qualquer tipo de interrupção na minha rotina.

Outro efeito imediato e natural é a economia de bateria do smartphone. Sem ter o sistema de vibração funcionando a casa minuto, ou sem precisar acionar a tela de forma mais constante, a bateria do dispositivo automaticamente vai durar mais tempo. Ou vai me dizer que você não percebeu isso? Bom, tem aqueles que ainda ficaram utilizando outros serviços de mensagens instantâneas (o Telegram agradeceu e muito com os acontecimentos de ontem). Mesmo assim, a economia de bateria é algo perceptível.

Tudo bem, alguns efeitos do bloqueio do WhatsApp são inusitados. A TIM liberar SMSs de graça enquanto a proibição durar é algo que chama a atenção positivamente, mas também mostra um certo “pulo do gato” da operadora, pois vai inflar os seus números para investidores e para a própria operadora. Convenhamos: as operadoras não lucram mais com envio de mensagens de texto. Querem mais que as pessoas utilizem o serviço para mostrar para as outras que tem maior participação no mercado. Só isso.

Outras pessoas voltaram no tempo, e descobriram que o smartphone também serve para realizar e receber chamadas telefônicas. Algumas pessoas que eu conheço estavam apelando para o telefone fixo, algo que, sinceramente, já me perguntava quem ainda utilizava isso. Mas entendo que faz parte de todo o processo de abstinência da comunicação.

Encontrei muita gente sofrendo sem o WhatsApp. Eu, até agora, estou bem de boa. É claro que não concordo em ver 100 milhões de usuários pagando por conta da decisão de um, visando pegar meia dúzia de criminosos. Questiono se vale esse esforço todo. Mas… enfim… regras são regras.

Queria saber o que tem a dizer aqueles que apoiaram o Marco Civil da Internet do jeito que estava, com um texto cheio de brechas como essa. Bem que tentamos avisar. Mas preferiram apoiar um texto que violava direitos constitucionais de milhões de brasileiros.

Se não tomarmos cuidado, é só o começo.