E lá vamos nós para mais um texto clichê sobre o Dia das Mães, onde todo mundo paga de bonzinho na internet para receber a aceitação do coletivo. Mais um texto que vai começar de um jeito e terminar da forma mais imprevisível possível. Mais uma crônica que começa tentando ser bem humorada, mas que deve chegar ao fim com o cara atrás da tela digitando reflexões sobre a própria existência.

Hoje, Dia das Mães, eu não estarei com a minha, pela primeira vez em 40 anos de vida. Foi minha escolha, por vários motivos. O principal deles? Eu escolhi viver em Florianópolis, cidade que fica muito longe de Araçatuba, interior de São Paulo, local onde estão os meus pais e uma parte da minha família. Eu decidi construir minha vida aqui, e acabei me condicionando a viajar duas vezes por ano para ficar com eles.

O que está doendo nesse momento não é a saudade. Não é a distância. É saber que minha mãe, de alguma forma, está me esperando lá. Nessas horas, a tecnologia não resolve. Chamada de vídeo pelo WhatsApp não é abraço. Telefonema não é beijo. É no máximo ouvir a voz e sentir a energia daquela pessoa do outro lado da linha.

Tudo o que você precisa saber sobre a minha mãe?

Vamos lá.

Corinthiana (não é fanática, nem sabe a escalação do time), leonina e com personalidade forte. Ama os Beatles, Elvis Presley, Roberto Carlos e o Sean Connery. É conservadora, mas já cometeu vários pecados impublicáveis (o que a torna humana, felizmente; é um presente saber que ela não faz curso para ser santa). Já bebeu e já fumou, mas deixou de fazer os dois antes do meu nascimento. Ela cortou o sal e o café da vida dela para que eu viesse ao mundo. Caminhava quilômetros para buscar comida mais barata. Economizou o que tinha e o que não tinha para comprar a casa onde vive hoje. É a mulher mais forte que eu conheço.

Minha mãe foi a protagonista das mais sérias discussões que eu tive na vida com outro ser humano. Foi a pessoa que eu mais fiz sofrer pelos meus erros. Foi a pessoa que mais me fez sofrer por amor. É a pessoa que eu mais amo. Ela me ensinou a amar os Beatles e, por causa disso, eu amo a música. Ela me perdoou quando eu desmontava todos os meus brinquedos e, por causa disso, hoje eu amo o mundo da tecnologia. Ela fez de tudo para me impedir de cometer erros. Falhou nessa missão. E que bom que ela falhou. Assim, eu consegui crescer e aprender alguma coisa.

Eu acredito que a minha mãe não é tão diferente da sua mãe. E isso é algo que nós dois (eu, escrevendo esse texto, e você, que está aí do outro lado dedicando o seu tempo em ler essas palavras) temos em comum. Acredito que muitas das mães e avós que leram sobre as características da minha mãe se identificaram um pouco com algumas dessas características e experiências de vida. Se alguma coisa nos une no dia de hoje, eu confesso que ficarei feliz…

…pois mais uma vez a tal corrente positiva se estabelece, mostrando claramente que não estamos sozinhos nessa vida.

É claro que parte de mim está desgostoso no dia de hoje. Eu realmente queria estar com a minha mãe enquanto eu ainda tenho alguma chance. O tempo está passando, e eu sei que ela está indo embora, aos poucos. Já começou a ser difícil para ela se lembrar de mim, e eu confesso que não estava preparado para esse tipo de perda. Mas é a realidade dos fatos, é o processo natural da vida.

Porém, no lugar de simplesmente ficar me lamentando por não ter condições de pegar um avião e cruzar dois estados, eu quero dividir com vocês nesse texto o que eu sinto e o que eu desejo. Para mães e filhos. Assim eu sei que, do outro lado, vai ter alguém que vai se conectar comigo de alguma forma, e eu não estarei sozinho nessa livre expressão de sentimento.

Tudo o que você precisa saber sobre a sua mãe?

Depende.

Eu já disse: provavelmente a sua mãe não é diferente da minha. É só perguntar para ela. Não, melhor: feche os olhos, e olhe para dentro de si mesmo, e faça aquele flashback de sua vida com ela. Silenciosamente.

Não vai ser difícil perceber que ela é mais do que mãe. É heroína. Só por abrigar outro ser humano por nove meses já a torna super. Sem falar nas tarefas cotidianas: levar e buscar o filho na escola, arrumar a casa, ter uma carreira bem sucedida, cuidar da sua saúde, impedir você de jogar videogames até tarde, tentar evitar que você use drogas ou tenha uma gravidez precoce, ser sexy para o seu pai…

Não é fácil.

Logo, abraçar, beijar, dar carinho… é o mínimo.

Agradeça à ela de joelhos porque você venceu na vida. Ou porque pelo menos ela deu o melhor para que você não cometesse vários dos erros que ela cometeu, e você não sabe (e eu sei, porque de algumas mães eu virei confidente ou algo a mais). Fique feliz porque você tem alguém para olhar com alegria e amor, e entender que é nessa pessoa que está a sua origem. E tudo o que essa pessoa quer é que você seja feliz assumindo o controle do seu destino.

Abrace a sua mãe também por mim, porque dessa vez eu não vou conseguir abraçar a minha!

E… para aqueles que nem mãe em outra cidade tem para abraçar, porque já viraram estrelinhas no céu… eu digo…

Hoje, eu entendo você, em partes. Eu sei o que você está sentindo. Em partes.

Se me permite um conselho de amigo… sabe o lance de fechar os olhos e fazer o flashback? Faça. Mas abrace a si mesmo. É uma forma de abraçar à ela, independente da distância.

Eu me recuso a ficar com os braços vazios hoje. Eu sei que eu vou abraçar a minha mãe à distância. Provavelmente eu vou abraçar a mãe de alguém também pois tem muita mãe por aí sem filho para comemorar o dia de hoje, e que gostaria de poder compartilhar um pouco dessa oferta de carinho e amor para alguém. Pode até não ser a mesma coisa que estar com a minha mãe, mas eu sei que será melhor que ficar sozinho me lamentando.

No final, eu não contei tudo sobre a minha mãe, mal falei alguma coisa sobre a sua mãe, e não terminei esse texto em lágrimas. Para quem chegou até aqui, obrigado pela atenção.

E, se você é mãe (e avó também, pois é mãe em dobro)… não é só parabéns… é MUITO OBRIGADO. Você recebeu a missão mais nobre. Talvez qualquer coisa que eu venha a oferecer seja insuficiente para recompensar tudo o que você fez por outra vida. Mas ao menos saber que se é grato por tudo isso pode trazer conforto e alegria no seu coração no dia de hoje.

Sintam-se abraçadas por mim. Assim, abraço a minha mãe. Mesmo à distância.

Grato pela atenção.