Compartilhe

Apresentamos ‘o bracelete do silêncio’, que é uma pulseira com 24 alto-falantes que emitem sinais ultrassônicos durante o uso. Esse som é imperceptível para a maioria das pessoas, mas os microfones próximos podem escutá-lo, deixando de escutar os demais sons.

O invento foi criado por pesquisadores da Universidade de Chicago, por conta do recurso do Alexa que detecta e grava todas as conversas no ambiente, já que seu microfone fica ativo o tempo todo. A pulseira pode ser a solução para isso, desabilitando os microfones do entorno para assim ter uma ‘conversa privada’.

 

 

 

Uma pulseira contra dezenas de microfones

 

 

Não é a pulseira mais bonita do mundo, já que possui 24 alto-falantes integrados. Porém, ela ainda é um protótipo que deve melhorar no design. Sem falar que pode ser vendida por apenas US$ 20 quando chegar ao mercado.

O motivo para tantos alto-falantes ao redor é para a emissão do ultrassom de forma omnidirecional. Uma vez no pulso, a pulseira pode eliminar pontos cegos, já que as ondas alcançam todo o entorno, o que o torna diferente de outras soluções com microfones estáticos. Por outro lado, o produto é portátil, podendo ser utilizado em qualquer lugar.

Esta pode ser a resposta para os sistemas inteligentes que são cada vez mais intrometidos. Os alto-falantes inteligentes e o seu aumento de uso significativo nos últimos anos é um exemplo dessa intromissão, mas os smartphones, relógios inteligentes e outros dispositivos eletrônicos também exercem tal espionagem.

Em princípio, os alto-falantes inteligentes foram desenvolvidos para ficarem sempre alerta e como o microfone ligado, mas só gravam o conteúdo ao seu redor depois de serem despertados com as palavras chave específicas. Porém, por mais que as empresas aleguem que as conversas são privadas, foi revelado recentemente que em mais de uma oportunidade parte das conversas são escutadas por humanas, com a desculpa de verificação de falsos positivos.

Obviamente, nenhum proprietário de alto-falantes inteligentes sabia disso, e nenhum fabricante deixou claro que isso estava acontecendo.

Por outro lado, sempre existe a possibilidade desse tipo de dispositivo ser hackeado, por conta de sua vulnerabilidade. Os dispositivos IoT (Internet das Coisas) sofreram ataques em nível global em mais de uma oportunidade. Com dispositivos com microfones constantemente ligados, sempre vai existir a possibilidade que tais dispositivos fiquem potencialmente comprometidos.

É claro que levar uma pulseira enorme no pulso pode ser desconfortável, mas vamos esperar que o seu design melhore. Porém, nesse momento, levar um trambolho desse no pulso pode não ser a solução mais indicada para esse problema, mas ao menos é uma proposta. Nesse momento, é melhor do que nada.

 

 

 

Via NYT


Compartilhe